24 Jul. 2018: “Fanny & Alexander” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Fanny & Alexander, de Ingmar Bergman.

Sinopse: No início do Século 20, após um alegre Natal da família Ekdahl, o pai de um casal de crianças vem a falecer. Do momento em diante, Alexander, o menino, passa a ver o fantasma do pai frequentemente. Tempos depois, Emilie, a mãe, casa-se com um homem religioso extremamente rígido, e as crianças são obrigadas a deixar a casa da avó paterna, onde eram muito felizes, e passam a viver com a família do padrasto de hábitos severos, onde são tratados como prisioneiros. Na casa, o menino passa a ver o fantasma da primeira esposa do padrasto e filhas, que haviam morrido tentando escapar da casa. Decorrido algum tempo, a mãe se conscientiza da real personalidade do marido e de quanto os filhos estão sofrendo, e começa a planejar uma fuga. Continuar lendo

Anúncios

24 Jul. 2018: “Moonrise Kingdom” de Wes Anderson – Cineclube Sesi São José dos Pinhais

O Cineclube Sesi São José dos Pinhais segue a realização do Ciclo Wes Anderson com exibição e debate de Moonrise Kingdom.

Confira o release oficial sobre o Ciclo: “Se há um ponto bem no meio entre o cinema comercial e o autoral, este é Wes Anderson. A paleta de cores específica, os movimentos de câmera coordenados e recorrentes e a interpretação fria são algumas das marcas deste grande diretor.”

Sinopse: Anos 1960, em uma pequena ilha localizada na costa da Nova Inglaterra. Sam e Suzy sentem-se deslocados em meio às pessoas com quem convivem. Após se conhecerem em uma peça teatral na qual Suzy atuava, eles passam a trocar cartas regularmente. Um dia, resolvem deixar tudo para trás e fugir juntos. O que não esperavam era que os pais de Suzy, o capitão Sharp e o escoteiro-chefe Ward fizessem todo o possível para reencontrá-los. Continuar lendo

24 Jul. 2018: “O Preço Da Paz” de Paulo Morelli – Cine na 3ª

O Cine na 3ª exibe O Preço Da Paz, de Paulo Morelli. A exibição faz parte da programação do 6º Festival de Inverno.

Sinopse: A Revolução Federalista coloca em evidência a garra e a determinação dos heroicos gaúchos que ficaram conhecidos ao longo do tempo como “Maragatos”. Um golpe do Presidente Floriano fecha e logo em seguida reabre o Congresso Nacional, para colocar a mesa de decisões um grupo de correligionários que rezavam pela sua cartilha. No sul do país, inconformados, os idealistas revolucionários Maragatos se insurgem e avançam para o Rio de Janeiro. O intuito: se juntar às tropas do Almirante Saldanha para, juntos, deporem o Presidente. Continuar lendo

21 Jul. 2018: “Muita Calma Nessa Hora” de Felipe Joffily – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado continua o Ciclo “Comédias Nas Férias” com Muita Calma Nessa Hora, de Felipe Joffily.

Sinopse: Mari, Tita e Aninha são amigas. Cada uma esteve envolvida recentemente em acontecimentos tragicômicos. Nesse turbilhão de emoções, decidem juntas que é hora de mudar e partem em uma viagem para Búzios. Na estrada, conhecem Estrella, uma hippie, que pede carona para tentar achar o pai desconhecido no balneário. Num cenário de praias paradisíacas, situações hilárias, noitadas quentes e gente bonita, o rumo da vida das quatro moças muda a cada minuto, fazendo com que encontrem mais do que buscam: elas encontram a si próprias. Continuar lendo

21 Jul. 2018: “Rosa La Rose, Garota De Programa” de Paul Vecchiali – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Rosa La Rose, Garota De Programa, de Paul Vecchiali.

Sinopse: Rosa la Rose é a mais bela prostituta de Les Halles. Todos os clientes a desejam e ela não nega nenhum deles. O cafetão é um homem compreensivo e generoso. Sobre a vida de Rosa há pouco a contar. Até que surge um jovem chamado Julien e ela se apaixona. Mas valerá a pena deixar a vida atual por uma loucura de amor? Continuar lendo

20 Jul. 2018: “A Cordilheira” de Santiago Mitre – Cineclube do Centro Cultural da Espanha

O Cineclube do Centro Cultural da Espanha, com colaboração da Cinemateca de Curitiba, exibe A Cordilheira, de Santiago Mitre. O filme é exibido com áudio original e legendas em português.

Sinopse: Os presidentes dos países da América do Sul irão se encontrar no Chile para discutir a Associação Petroleira do Sul, uma organização que visa fortalecer a posição dos mesmos em relação à compra e venda de petróleo. Hernán Blanco, o recém-eleito presidente da Argentina, segue preocupado para o local, visto que há contra ele a ameaça de que um antigo desvio em fundo de campanha seja revelado publicamente. Além da pressão inerente ao encontro, ele precisa lidar com a filha, Marina, que passa por transtornos psicológicos. Ele terá de tomar duas decisões que podem mudar o curso da vida dele nas ordens pública e privada: por um lado, uma situação emocional complicada com a filha; por outro, a decisão política mais importante da carreira. Continuar lendo

19 Jul. 2018: “Sonata De Outono” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Sonata De Outono.

Sinopse: Após ter sido uma mãe ausente por anos, Charlotte, renomada pianista, vai até a casa da filha Eva para uma visita. Ela se surpreende ao encontrar uma outra filha, Helena, que sofre de problemas mentais. Eva tirou Helena da instituição que Charlotte a havia internado para cuidar dela em casa. A tensão entre mãe e filha começa a crescer e vai se intensificando, até colocarem tudo em panos limpos, dizendo uma à outra tudo que sempre quiseram dizer. Continuar lendo

19 Jul. 2018: “Campo Grande” de Sandra Kogut – CineSESC Quinta

O CineSESC Quinta prossegue o Ciclo Dramas Brasileiros com exibição de Campo Grande, de Sandra Kogut.

Sinopse: Certa manhã, duas crianças são deixadas em frente à portaria de um prédio em Ipanema, sem nenhuma explicação, a não ser um pedaço de papel com o nome e endereço de Regina, moradora de um dos apartamentos. Em nenhum momento as crianças duvidam que a mãe voltará para buscá-las. Mas, será que ela vai mesmo? A chegada das crianças ao mundo de Regina transformará profundamente as vidas delas.​ Continuar lendo

17 Jul. 2018: “Uma Noite Em 67” de R. Terra e R. Calil – Cine na 3ª

O Cine na 3ª prossegue o Ciclo “Cinema, Literatura e Música” com exibição de José E Pilar, de Renato Terra e Ricardo Calil.

Sinopse: Final do III Festival da Música Popular Brasileira da TV Record, 21 de outubro de 1967. Entre os candidatos aos principais prêmios figuravam Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Os Mutantes, Roberto Carlos, Edu Lobo e Sérgio Ricardo, protagonista da célebre quebra da viola no palco. Com imagens de arquivo e apresentações de músicas hoje clássicas, o documentário registra o momento do tropicalismo, os rachas artísticos e políticos na época da Ditadura Civil-Militar e a consagração de diversos artistas que se tornariam ídolos. Continuar lendo

17 Jul. 2018: “O Fantástico Sr. Raposo” de Wes Anderson – Cineclube Sesi São José dos Pinhais

O Cineclube Sesi São José dos Pinhais continua o Ciclo Wes Anderson com exibição e debate de O Fantástico Sr. Raposo.

Confira o release oficial sobre o Ciclo: “Se há um ponto bem no meio entre o cinema comercial e o autoral, este é Wes Anderson. A paleta de cores específica, os movimentos de câmera coordenados e recorrentes e a interpretação fria são algumas das marcas deste grande diretor.”

Sinopse: O Sr. Raposo, a Sra. Raposa e o filho vão morar em uma árvore, localizada em uma colina. Lá eles têm como vizinhos o Coelho, o Texugo e a Doninha, entre outros animais, todos com as respectivas famílias. O Sr. Raposo prometeu à esposa que deixaria a arriscada vida de ladrão de galinhas, quando ela esteve grávida. Desde então, ele iniciou uma respeitável carreira de colunista de jornal. Porém, a proximidade do novo lar com as fazendas de Boggis, Bunce e Bean faz com que, às escondidas, retorne à velha vida… Mas não demora e o trio de fazendeiros une forças para capturá-lo. Continuar lendo

17 Jul. 2018: “Vergonha” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Vergonha.

Sinopse: Em meio a uma guerra civil nos balcãs, um casal de violinistas, que se dizem apolíticos, fogem para viver isolados em uma ilha, onde sustentam-se com o cultivo e a venda de produtos da terra. Essa vida alienada acaba quando um grupo de soldados invade a ilha, e a população local reage criando um movimento de guerrilha. A partir desse momento, o casal não poderá ficar mais alheio à tudo o que acontece, e terão que lidar com as misérias, a destruição e os horrores da guerra. Continuar lendo

14 Jul. 2018: “Elvira Madigan” de Bo Widenberg – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Elvira Madigan, de Bo Widenberg.

Sinopse: Enredo baseado na história real do relacionamento entre Elvira Madigan e Sixten Sparre. Ele, Sixten, um tenente do exército sueco, deixa a esposa e filhos e abandona o exército para fugir para a Dinamarca com a amada Elvira, uma artista de circo. Eles se conheceram numa passagem do circo pela Suécia, e depois vieram a se corresponder por mais de dois anos. A fuga faz do tenente um desertor. Juntos e sem dinheiro, passam a enfrentar muitas dificuldades.  Continuar lendo

14 Jul. 2018: “O Homem Das Multidões” de C. Guimarães e M. Gomes – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate O Homem Das Multidões, de Cao GuimarãesMarcelo Gomes.

Sinopse: Belo Horizonte, Brasil. Duas estórias diferentes sobre solidão. Juvenal, condutor de metrô, enfrenta a impossibilidade de estar só. Para se sentir melhor, mistura-se na grande multidão da cidade. Margô, controladora em estação de metrô, não consegue largar as redes sociais, trocando o mundo real pelo mundo virtual.
Continuar lendo

12 Jul. 2018: “Corações Sujos” de Vicente Amorim – CineSESC Quinta

O CineSESC Quinta dá continuidade ao Ciclo Dramas Brasileiros com exibição de Corações Sujos, de Vicente Amorim.

Sinopse: O tratado de rendição assinado pelo imperador japonês Hirohito ao general americano Douglas MacArthur marcou o fim da Segunda Guerra Mundial. Entretanto, no Brasil o anúncio não marcou o fim do período de violência. Os imigrantes japoneses que viviam no interior do estado de São Paulo, formando a maior colônia japonesa fora do Japão, se dividiram em dois grupos. Os que acreditavam na notícia eram chamados de traidores da pátria, apelidados de “corações sujos”, e perseguidos por aqueles que endeusavam o imperador e ainda acreditavam na vitória do Japão. É neste contexto que vive Takahashi, dono de uma pequena loja de fotografia e casado com Miyuki, uma professora de ensino infantil. Incitado pelo coronel Watanabe, Takahashi se torna o vingador daqueles que pregam a supremacia japonesa e passa a atacar todos aqueles que acreditam que o país foi derrotado na guerra. Continuar lendo