12 Jul. 2018: “A Hora Do Lobo” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com A Hora Do Lobo.

Sinopse: O pintor Johan e a esposa grávida, Alma, retiram-se para uma ilha isolada. Johan é consumido por remorsos do passado e por constantes alucinações. Alma tenta ajudá-lo a manter a sanidade e controlar a obra dele. Mas, durante a escuridão entre a noite e o amanhecer, a chamada “hora do lobo”, Johan sofre confusões mentais, delírios e alucinações. Acabam por conhecer um misterioso grupo de pessoas que passa a trazer angústias ainda maiores à vida do casal. O único filme que pode ser considerado de terror/horror na filmografia de Ingmar Bergman. Continuar lendo

Anúncios

11 a 25 Jul. 2018: Programação da Sessão Criança – Museu da Imagem e do Som

Neste mês de julho, aproveitando as férias escolares da criançada, o MIS realiza a Sessão Criança. Acontece em dois horários, 10h00 e 15h00, às quartas e sextas-feiras.

sessao_crianca_MIS_jul_2018

11/07 – A Bela E A Fera (filme de 2017, e não o desenho animado)
13/07 – Os Croods
18/07 – Meu Malvado Favorito
20/07 – Divertida Mente
25/07 – Moana

Clique aqui para saber mais sobre os filmes

Sessão Criança no MIS

11 a 25 de Julho de 2018

Sessões as quartas-feiras e sextas-feiras, as 10h00 e 15h00 (duas sessões por dia)

Exibições com áudio dublado em português. A informação não está descrita no release dos sites, mas a obtive entrando em contato com o Museu

Entrada Gratuita

Classificação Etária: 10 Anos para A Bela E A Fera. O restante dos filmes é de Classificação Livre

Local: Museu da Imagem e do Som

Rua Barão do Rio Branco, 395, bairro Centro, Curitiba/PR. As exibições ocorrem no Miniauditório

Mapa: https://goo.gl/maps/6JYVxbVkW2k

Contatos: (41) 3232-9113, mis@pr.gov.br

http://www.mis.pr.gov.br

https://www.facebook.com/misparana

*A partir de informações do MIS-PR e SEEC-PR

10 Jul. 2018: “José E Pilar” de Miguel Gonçalves Mendes – Cine na 3ª

O Cine na 3ª continua o Ciclo “Cinema, Literatura e Música” com exibição de José E Pilar, de Miguel Gonçalves Mendes. O filme, que trata da relação e do cotidiano do casal José Saramago, renomado escritor português, e Pilar Del Rio, jornalista 28 anos mais nova que o esposo, comoveu o mundo por sua qualidade e por ter entrado em cartaz poucos meses após a morte do escritor.

SinopseA Viagem Do Elefante, o livro em que José Saramago narra as aventuras e desventuras de um paquiderme transportado desde a corte de D. João III à corte do austríaco Arquiduque Maximiliano, é o ponto de partida do filme, que retrata a relação entre José Saramago e Pilar del Río. Mostra do dia-a-dia do casal em Lanzarote e Lisboa, em casa e em viagens de trabalho. O documentário é um retrato surpreendente de um autor durante o processo de criação e da relação de um casal empenhado em mudar o mundo – ou, pelo menos, em torná-lo melhor. O filme revela um Saramago desconhecido, desfaz ideias recorrentes feitas sobre ele e prova que gênio e simplicidade são compatíveis. A demonstração de que, como diz o próprio Saramago, “tudo pode ser contado de outra maneira”. Continuar lendo

10 Jul. 2018: “Viagem A Darjeeling” de Wes Anderson – Cineclube Sesi São José dos Pinhais

O Cineclube Sesi São José dos Pinhais prossegue o Ciclo Wes Anderson com exibição e debate de Viagem A Darjeeling.

Confira o release oficial sobre o Ciclo: “Se há um ponto bem no meio entre o cinema comercial e o autoral, este é Wes Anderson. A paleta de cores específica, os movimentos de câmera coordenados e recorrentes e a interpretação fria são algumas das marcas deste grande diretor.”

Sinopse: Após a morte do pai e desaparecimento da mãe, três irmãos americanos programam uma viagem juntos. Em um vibrante e sensual cenário indiano, eles buscam estreitar os laços entre eles. A viagem se inicia em um trem, momento em que Francis, o irmão mais velho, deseja se reaproximar dos outros dois. Mas, devido a mau comportamento, os irmãos são expulsos do trem em que viajam. Enfrentando as dificuldades, eles são forçados a aprender muito mais sobre eles mesmos e sobre a Índia. Continuar lendo

10 Jul. 2018: “Persona” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Persona. O filme também também é conhecido no Brasil sob o título Quando Duas Mulheres Pecam.

Sinopse: Após um desempenho na peça “Electra”, uma famosa atriz, Elisabeth Vogler, para de falar. A psiquiatra dela, Lakaren, a deixa sob os cuidados de Alma, uma dedicada enfermeira. Como já faz três meses que Elisabeth não profere uma só palavra, Lakaren decide que ela deve repousar numa isolada casa de praia, acompanhada de Alma. Na casa Alma fala pelas duas – inclusive revelando fatos íntimos da vida dela; Elisabeth continua muda, comunicando-se apenas com pequenos gestos. O que a atriz esconde e o que está pretendendo? Continuar lendo

09 Jul. 2018: “O Vencedor” de Peter Yates – Cine FAP

O Cine FAP exibe e debate O Vencedor, de Peter Yates.

Sinopse: Dave, Mike, Cyril e Moocher são grandes amigos, e acabaram de terminar o colégio. Os ânimos estão quentes na cidade de Bloomington, Indiana, nos EUA, devido a rivalidade entre a classe trabalhadora e os universitários. Desmotivados, os quatro amigos não fazem grande coisa da vida… Com exceção de Dave, que é fã da Itália e treina para ser campeão de ciclismo. Continuar lendo

07 Jul. 2018: “As Melhores Coisas Do Mundo” de Laís Bodanzky – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado dá início ao Ciclo “Comédias Nas Férias” com As Melhores Coisas Do Mundo, de Laís Bodanzky.

Sinopse: Mano é um adolescente de 15 anos. Ele está aprendendo a tocar guitarra com Marcelo, pois deseja chamar a atenção de uma garota. Os pais estão se separando, o que vem afetando tanto ele quanto o irmão mais velho. A melhor amiga e confidente de Mano é Carol, que está apaixonada pelo professor Artur. Em meio a estas situações, Mano precisa lidar com os colegas de escola em momentos de diversão e também sérios, típicos da adolescência nos dias atuais. Continuar lendo

07 Jul. 2018: “O Velho Fuzil” de Robert Enrico – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate O Velho Fuzil, de Robert Enrico.

Sinopse: Em 1944, um médico leva a família para o campo, tentando protegê-los das circunstâncias de guerra. Porém, chega o dia em que os nazistas matam a esposa e a filha, sem que ele possa reagir. O médico resolve buscar por vingança, munido apenas de uma velha espingarda. Continuar lendo

07 Jul. 2018: “Nuvens De Verão” de Mikio Naruse – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Nuvens De Verão, de Mikio Naruse.

Sinopse: Yae, que perdeu o marido na guerra, administra uma pequena fazenda com a sogra, enquanto cria o único filho, Tadashi. Em certa ocasião, o repórter Okawa a entrevista sobre as recentes reformas agrícolas, e os dois acabam tornando-se amigos. O pós-guerra e os traumas do período foram uma constante na obra de Naruse a partir do início da década de 1950. Nuvens De Verão (Iwashigumo), um dos mais célebres filmes do cineasta, é uma sucessão de pequenas histórias vividas por uma família de camponeses no pós-guerra. Ligando-as uma às outras e assim dando unidade ao filme, está a personagem da jovem viúva Yae, dividida entre manter a independência e a necessidade de voltar a casar. Continuar lendo

07 Jul. 2018: “A Bela Da Tarde” de Luis Buñuel – Psicanálise & Cinema

O projeto Psicanálise & Cinema exibe e debate A Bela Da Tarde, de Luis Buñuel.

O projeto, que acontece mensalmente no Museu Guido Viaro, pretende trabalhar o tema Psicanálise & Cinema a partir de filmes que permitem uma densa abordagem psicanalítica. O projeto é concebido e organizado pela psicanalista Elenice Milani, que conduzirá o debate após as exibições. A ideia principal do projeto é de deixar um espaço para o debate sobre os temas abordados, partindo sempre de um esclarecimento psicanalítico.

Confira a apresentação do filme por Elenice Milani: “Verdadeiro clássico, A Bela Da Tarde, filme francês de 1967, foi dirigido pelo surrealista Luis Buñuel, grande parceiro de Salvador Dalí. É baseado no livro de Joseph Kessel (1898-1979), escritor e jornalista nascido na Argentina, membro da Academia Francesa e seguidor da vertente do psicologismo francês.

Luis Buñuel, o mestre do surrealismo no cinema, foi também um grande pensador e critico feroz, sempre construindo na forma de uma rica e complexa rede de simbologia em suas obras. A Bela da Tarde, Intrigante e extremamente poético, nos faz mergulhar nas obscuridades do desejo, no mundo das pulsões, onde nem tudo pode ser explicado ou entendido racionalmente. Nada a se estranhar, visto que o mistério é um ingrediente essencial à vida humana. Mais importante do que decifrar quando a protagonista imagina ou sonha as coisas e quando as vive realmente, é deixar-se levar pela mente criativa e anti-convencional, não havendo diferença entre viver e sonhar: sonho bem real… Nisso, se acrescenta a absoluta presença da beleza aristocrática de Catherine Deneuve, em contraste com a vida promíscua da personagem Severine. O real e o onírico se misturam.

Não há respostas, apenas perguntas sem justificativas. É uma discussão psicológica, e não moralista, do caráter da personagem. Seria essa escolha fruto de um reedição de algum abuso sexual na infância dela? Ou a construção de uma fantasia de abuso sexual na infância, como nos relata Freud em seus estudos sobre a histeria? O filme traz um tema sempre atual, e pode ser relacionado à pergunta que a Psicanálise deixa, tanto em Freud quanto em Lacan: ‘Afinal, o que quer uma mulher…?'”

Sinopse: No enredo, Séverine, casada com um cirurgião de sucesso, é jovem e rica, mas infeliz. Acaba procurando um discreto bordel para realizar fantasias sexuais e conseguir o prazer que o marido não consegue dar à ela. Curiosa, Séverine termina acostumando-se a uma vida dupla. Até o aparecimento de Marcel, um delinquente que se enamora dela, e acaba por complicar a cômoda situação da protagonista. Continuar lendo

05 Jul. 2018: “Nome Próprio” de Murilo Salles – CineSESC Quinta

O CineSESC Quinta inicia o Ciclo Dramas Brasileiros com exibição de Nome Próprio, de Murilo Salles.

Sinopse: Escrever é a grande paixão da vida de Camila. Intensa e corajosa, ela busca criar uma existência complexa o suficiente para que possa escrever sobre si mesma. Camila escreve compulsivamente em um blog. Isto faz com que também fique isolada e que só consiga ver duas opções na vida: cometer suicídio ou encontrar o grande amor. O que vier primeiro… Continuar lendo

05 Jul. 2018: “O Sétimo Selo” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com O Sétimo Selo. A mostra, que começou com Morangos Silvestres, ainda contará com: Persona (dia 10); A Hora Do Lobo (12); Vergonha (17); Sonata De Outono (19); Fanny & Alexander (24); Na Presença De Um Palhaço (26); e Face A Face (31).

Sinopse: Após dez anos, um cavaleiro retorna das Cruzadas e encontra o país devastado pela Peste Negra. A fé dele em Deus é sensivelmente abalada, e enquanto reflete sobre o significado da vida, a Morte surge querendo levá-lo, alegando que chegou a hora do cavaleiro. Com o objetivo de ganhar tempo, ele convida a Morte para um jogo de xadrez, que decidirá se ele deixará ou não de viver. A Morte concorda com o desafio, visto que nunca perdeu um jogo de xadrez. Continuar lendo

03 a 31 Jul. 2018: Programação do Cineclube do MIS – Museu da Imagem e do Som

CLIQUE AQUI e confira o cartaz com a programação do mês de Julho de 2018 do Cineclube do MIS.

Cineclube do MIS – Julho de 2018

Sessões as terças-feiras e quintas-feiras as 15h00

Entrada Gratuita

LocalMuseu da Imagem e do Som

Rua Barão do Rio Branco, 395, bairro Centro, Curitiba/PR. As exibições ocorrem no Miniauditório

Mapa: https://goo.gl/maps/6JYVxbVkW2k

Contatos: (41) 3232-9113, mis@pr.gov.br

http://www.mis.pr.gov.br

https://www.facebook.com/misparana

*A partir de informações do MIS-PR e SEEC-PR

03 Jul. 2018: “Lope” de Andrucha Waddington – Cine na 3ª

O Cine na 3ª inicia o Ciclo “Cinema, Literatura e Música” com exibição de Lope, de Andrucha Waddington.

Sinopse: Espanha, Século 16. No enredo, a juventude do espanhol Félix Lope de Vega, um dos maiores dramaturgos e poetas de todos os tempos, autor de obras como “Amarílis” e “La Arcádia”. Continuar lendo