03 Dez. 2017: “Jonas E O Circo Sem Lona” de Paula Gomes – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate Jonas E O Circo Sem Lona, de Paula Gomes. Atenção: o encontro do cineclube excepcionalmente ocorrerá no domingo.

Sinopse: No fundo do quintal, numa casa na periferia de Salvador, Jonas, de 13 anos, mantém um pequeno circo. Ele vem de uma família circense e treina os amigos para apresentar-se num espetáculo, cobrando ingressos baratos das crianças que moram por perto. No entanto, quando as aulas começam, os colegas o abandonam… É cada vez mais difícil para Jonas sustentar o sonho de pé, especialmente porque a mãe e a avó insistem que agora ele tem que estudar.  Continuar lendo

Anúncios

28 Nov. a 03. Dez. 2017: Cine Tornado Festival 2017 – Fundação Cultural de Curitiba

A Cinemateca de Curitiba recebe a edição de 2017 do Cine Tornado Festival. A produção é de Curitiba e São Paulo, com curadoria da antropóloga e cineasta Eveline Stella de Araujo e do artista e cineasta Roderick Steel.

Confira o texto oficial de apresentação do Festival:

Em uma macro sociedade do espetáculo, saber compor curadorias que aproximem expressões locais e expressões globais é uma arte que estimula o diálogo entre as artes indie e mainstream. O Cine Tornado Festival permite esse deslocar dos filmes de seu local de produção para gerar conhecimento e redes de relação que fomentam o Cinema, pelo caráter nacional e internacional que o caracteriza. Um festival de filmes feito no e do Brasil para o mundo, com parcerias e ideais de renovação do cinema, contando com diretores nacionais e internacionais. A programação atende a três eixos básicos:

1) exibição de acervos de digitalização (parceria com os centros de memória, tais como, cinematecas ou memoriais nacionais e internacionais), estimulando a divulgação de filmes restaurados e digitalizados, contando assim um pouco da história do cinema por meio dos próprios filmes;

2) difusão de produções cinematográficas decorrentes de pesquisas científicas como etnoficção, documentários e filmes experimentais e artísticos (parceria com os centros de pesquisa como Laboratório de Imagem e Som da Antropologia da USP e outros laboratórios nacionais, ou como o Centro em Rede de Investigação em Antropologia – CRIA em Portugal, entre outros);

3) abertura de espaço às novas gerações de cineastas, incentivo ao cine-escola, oficinas de cinema e jovens realizadores independentes. Continuar lendo

27 Nov. 2017: “A Falecida” de Leon Hirszman – Cine FAP

O Cine FAP exibe e debate A Falecida, de Leon Hirszman.

Sinopse: Após uma visita à cartomante, Zulmira é informada que uma loira pode ameaçar a paz dela. Ao conversar com o marido Toninho, ela desconfia que a prima Glorinha pode ser a tal loira. Mal de saúde, Zulmira faz todos os preparativos para o dia da própia morte e pede ao marido desempregado que trate dos custos do caixão e funeral com um homem chamado João Guimarães Pimentel. O que Toninho não sabe é que Zulmira e este homem escondem alguns segredos que ele jamais poderia imaginar. Continuar lendo

25 Nov. 2017: “Corpo Elétrico” de Marcelo Caetano – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate Corpo Elétrico, de Marcelo Caetano. Atenção: o encontro do cineclube excepcionalmente será as 19h30.

Sinopse: Elias é o jovem criador de uma fábrica de confecção roupas no centro de São Paulo. Ele mantém pouco contato com a família na Paraíba, e passa os dias entre o trabalho e os encontros com outros homens. Enquanto reflete sobre as possibilidades de futuro, começa a ficar cada vez mais próximo dos colegas de trabalho. Parte da equipe forma um grupo de amigos que passam o tempo livre explorando a noite da cidade, driblando a solidão e buscando inspiração no caos e na alegria ao redor. Continuar lendo

22 a 26 Nov. 2017: 10º Festival de Cinema da Lapa – Instituto Histórico e Cultural da Lapa

Instituto Histórico e Cultural da Lapa, em parceria com o Instituto Borges da Silveira, realiza a décima edição do Festival de Cinema da Lapa.

As marcas principais do festival são a predominância do recorte popular, em vez do “cinema cabeça” próprio da cinefilia que é majoritário na maioria dos festivais; a variedade de gêneros e formatos, contemplando até mesmo filmes gravados em dispositivos móveis e programação para o público infantil; forte apoio ao cinema local da Lapa e paranaense; e exibições também em local público e semi-aberto (tenda), constituindo forte caráter agregador.

Já faz alguns anos que o Festival de Cinema da Lapa está entre os mais importantes no estado do Paraná, e tem a importância de levar o cinema para fora dos grandes centros e mobilização de público e produtores.

Confira um resumo do release oficial do Festival:

Entre os dias 22 e 26 de novembro, acontece a 10ª edição do tradicional Festival de Cinema da Lapa, no histórico município da Lapa, Paraná, realizado pelo Instituto Histórico e Cultural da Lapa, em parceria com o Instituto Borges da Silveira, contando com uma diversa gama de apoiadores.

Durante a programação oficial, serão exibidos gratuitamente 34 filmes, além da realização de oficinas, palestras e bate-papos, em dois espaços selecionados especialmente para o festival: uma enorme tenda instalada na Alameda David Carneiro e o histórico Theatro São João. Continuar lendo

04 Nov. 2017: “Elena” de Petra Costa – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate Elena, de Petra Costa.

Sinopse: Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar. Deixa Petra, a irmã de sete anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas. Filmes caseiros, recortes de jornal, um diário. Cartas. A todo momento Petra espera encontrar Elena caminhando pelas ruas com uma blusa de seda. Pega o trem que Elena pegou, bate na porta de seus amigos, percorre os caminhos dela. E acaba descobrindo Elena em um lugar inesperado.  Continuar lendo

31 Out. a 04 Nov. 2017: Festival Colors: Cinema + Diversidade – Gesto de Cinema

A produtora audiovisual Gesto de Cinema e a produtora cultural Processo Multiartes realizam o Festival Colors: Cinema + Diversidade.

Cada vez mais, a arte audiovisual, em especial o cinema, é instrumento de sensibilização, de luta e resistência da comunidade de pessoas que não se encaixam no marco heteronormativo considerado como “padrão” e “normal” na sociedade. A divulgação da temática da diversidade afetiva, sexual e de gênero não é apenas uma “bandeira cultural”, mas constitui uma verdadeira luta por dignidade, e infelizmente, também de sobrevivência: o direito de viver, de não ser morto, seja física ou espiritualmente. O problema é permanente, mas vem sendo agravado numa conjuntura do país na qual percebemos a história dando passo atrás, como o notório processo de retorno à legalidade da chamada “cura gay” na área da Psicologia. A intolerância e o ódio pelo diferente tem se intensificado. Indivíduos e grupos sociais cada vez mais querendo ditar o que pode e o que não pode e como as pessoas devem ser. Nesse contexto, o Festival Colors: Cinema + Diversidade, vem num momento crucial de necessidade de intensificação dos projetos de sensibilização, de luta e resistência.

Confira a apresentação-manifesto oficial do Festival:

Colors é Cinema + Diversidade. Ou, talvez, melhor ainda seria dizer: cinemas diversos + diversidades nos cinemas. Colors é um festival político, com filmes políticos, corpos políticos, vivências políticas. Colors são as diferenças e as singularidades em encontro: somando. + Gêneros, + sexualidades. Queremos pluralidade! Porque Colors são resistências em intersecção. Queremos um festival de cinema que seja vivo! Que se constitua nas e das experiências que pulsam em nossos corpos, em nossos afetos, em nossos desejos, na nossa insubmissão. Que grite serem, apesar de “nossos”, esses corpos, esses afetos e esses desejos também diferentes entre si, múltiplos. Porque não nos unificamos, mas, assim mesmo, colocamo-nos junt+s. Colors é um festival de cinema mas é, também, um manifesto em construção. E esse movimento tem sua primeira edição do dia 31 de outubro a 4 de novembro de 2017 em Curitiba, Paraná, Brasil. Let’s Colors! Continuar lendo

26 Out. 2017: “O Signo Das Tetas” de Frederico Machado – Cine Esquina

O Cine Esquina continua a programação “Especial Brasileiros” com O Signo Das Tetas, de Frederico Machado. O filme terá duas exibições no mesmo dia, as 12h00 e 18h00.

Sinopse: O Signo das Tetas narra em tons de drama existencialista o percurso de um homem em busca do passado dele, percorrendo as estradas do interior do Maranhão. Na jornada existencial, ele reencontra signos que refazem a vida e mostram-no o caminho para a salvação. Esse personagem, encontra-se no limiar entre a razão e a loucura, entre o caos e a fé.
Continuar lendo

26 Out. 2017: “Democracia Em Preto E Branco” de Pedro Asbeg – CineDocs de 5ª

O CineDocs de 5ª exibe Democracia Em Preto E Branco, de Pedro Asbeg.

Sinopses: Durante o ano de 1982 a Ditadura Militar completava 18 anos no Brasil. A música popular brasileira sobrevivia de metáforas, devido a grande opressão e censura. O clube de futebol Corinthians passava por um período interno turbulento. Em meio disso, o rock nacional começava a nascer. O filme mostra como a música, o esporte e a política se encontraram para mudar o rumo da história do país.
Continuar lendo

24 Out. 2017: “Sinfonia Da Necrópole” de Juliana Rojas – Cine Esquina

O Cine Esquina continua a programação “Especial Brasileiros” com Sinfonia Da Necrópole, de Juliana Rojas. O filme terá duas exibições no mesmo dia, as 12h00 e 18h00.

Sinopse: O jovem aprendiz de coveiro Deodato está com o emprego em risco. Os outros coveiros duvidam da capacidade dele para o trabalho. O tio Jaca tenta sensibilizá-lo para a função, mas é inútil: o trabalho aflige a Deodato, que tem aspirações artísticas. A rotina melhora quando Jaqueline surge no cemitério. Funcionária do serviço funerário, com a ajuda do rapaz inicia um levantamento sobre túmulos abandonados. A paixão impede Deodato de pedir demissão, mas estranhos eventos continuam a abalar o estado psicológico dele.
Continuar lendo

21 Out. 2017: “Vou Rifar Meu Coração” de Ana Rieper – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate Vou Rifar Meu Coração, de Ana Rieper.

Sinopse: Documentário que trata do imaginário brasileiro romântico, erótico e afetivo a partir da obra dos principais nomes da música popular romântica, também conhecida como “música brega”. Letras de músicas de artistas como Odair José, Agnaldo Timóteo, Waldick Soriano, Evaldo Braga, Nelson Ned, Amado Batista, Wando, dão a tônica do enredo. No filme, os temas das músicas se relacionam com histórias da vida amorosa de pessoas comuns, enfrentando o desafio de falar sobre a intimidade de pessoas reais, em situações reais. Continuar lendo

19 Out. 2017: “A História Da Eternidade” de Camilo Cavalcante – Cine Esquina

O Cine Esquina continua a programação “Especial Brasileiros” com A História Da Eternidade, de Camilo Cavalcante. O filme terá duas exibições no mesmo dia, as 12h00 e 18h00.

Sinopse: Em um pequeno vilarejo no Sertão, três histórias de amor e desejo revolucionam a paisagem afetiva dos moradores. Personagens de um mundo romanesco, no qual suas concepções da vida estão limitadas, de um lado pelos instintos humanos, do outro por um destino cego e fatalista
Continuar lendo

17 Out. 2017: “Tarja Branca” de Cacau Rhoden – Cine Esquina

O Cine Esquina continua a programação “Especial Brasileiros” com Tarja Branca, de Cacau Rhoden. O filme terá duas exibições no mesmo dia, as 12h00 e 18h00.

Sinopse: As brincadeiras infantis fazem parte de nossa formação social, intelectual e afetiva. Por elas nos socializamos, nos definimos e introjetamos muitos dos hábitos culturais da vida adulta. Todos brincamos na infância e no brincar fomos livres e felizes. Mas será que ainda carregamos essa subjetividade brincante e cultura lúdica vivas dentro de nós? Será que a criança que fomos se orgulharia do adulto em que se transformou? Documentário realizado a partir dos depoimentos de adultos de gerações, origens e profissões diferentes, Tarja Branca é um manifesto à importância de continuar sustentando um espírito lúdico, que surge em nossa infância e que o sistema nos impele a abandonar em nossa vida adulta.
Continuar lendo

17 a 21 Out. 2017: 3º Petit Pavé – Festival de Cinema Independente de Curitiba

Nas duas primeiras edições, a Petit Pavé ocorreu como mostra de cinema de curtas-metragens. Este ano chegando à 3ª edição, a Petit Pavé tornou-se um festival, com mostras competitivas que pretendem eleger os melhores curtas-metragens em 8 categorias: Melhor Filme; Melhor Roteiro; Melhor Direção; Melhor Atuação (Ator ou Atriz); Melhor Direção de Fotografia; Melhor Direção de Arte; Melhor Montagem e Edição; e Melhor Desenho de Som.

A programação é composta de 28 curtas-metragens de ficção, documentário, animação e experimental, todos brasileiros.

Confira a programação completa CLICANDO AQUI.

O evento é uma realização da Lak Produções e Polaris. Continuar lendo