17 Set. 2019: “A Grande Nuvem Cinza” de Marcelo Munhoz – CineMIS

Neste mês, a programação do CineMIS forma o Ciclo Natureza em Foco, “filmes brasileiros que, de alguma maneira, desbravam a natureza como cenário ou mesmo como assunto principal”. No próximo encontro, exibição de A Grande Nuvem Cinza, de Marcelo Munhoz.

Sinopse: Em uma pequena cidade no sul do Brasil, Lidia passa os dias vendo os outros trabalhando à sua volta. E às noites sonha com tempos passados no cultivo do fumo, quando ainda conseguia andar. Junto com o resgate da história dela, conhecemos a vida de quatro outros plantadores de fumo. Guiados pela tradição, misticismo ou pragmatismo, eles vivem na linha tênue entre a luta e o amor à terra.
Continuar lendo

Anúncios

14 Set. 2019: “Ferrugem” de Aly Muritiba – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado apresenta Ferrugem, de Aly Muritiba.

Sinopse: Assim como boa parte das meninas adolescentes, Tati adora compartilhar a vida nas redes sociais. Porém, quando menos espera, ela vai ter que amadurecer e lidar com as consequências dos atos dela, depois que algo que deveria se tornar público é divulgado no grupo do WhatsApp da turma do colégio. Continuar lendo

12 Set. 2019: “Sob A Pata Do Boi” de Marcio Isensee e Sá – CineMIS

Neste mês, a programação do CineMIS forma o Ciclo Natureza em Foco, “filmes brasileiros que, de alguma maneira, desbravam a natureza como cenário ou mesmo como assunto principal”. No próximo encontro, exibição de Sob A Pata Do Boi, de Marcio Isensee e Sá.

Sinopse: A Amazônia tem hoje 85 milhões de cabeças de gado, três para cada habitante da região. Na década de 1970, quase não havia bois e a floresta estava intacta. Desde então, uma porção equivalente ao tamanho da França desapareceu, da qual 66% virou pastagem. A mudança foi incentivada pelo governo, que motivou a chegada de milhares de fazendeiros de outras partes do país. A pecuária tornou-se bandeira econômica e cultural da Amazônia, forjando poderosos políticos a defendê-la. O documentário aborda essas transformações na região, incluindo decisões do Ministério Público que tentam conter o desmatamento. Continuar lendo

10 Set. 2019: “Apart Horta” de Cecilia Engels – CineMIS

Neste mês, a programação do CineMIS forma o Ciclo Natureza em Foco, “filmes brasileiros que, de alguma maneira, desbravam a natureza como cenário ou mesmo como assunto principal”. No próximo encontro, exibição de Apart Horta, de Cecilia Engels.

Sinopse: O filme contagia as pessoas com o interesse em cultivar alimentos em casa. Além da trama de Nazaré e Natanael, o filme mostra experiências reais apresentadas em mini-documentários. Sim, é possível: tem gente plantando em espaços muito pequenos! Os personagens tocam no tema da reciclagem, do preço dos alimentos, do reaproveitamento da matéria orgânica (minhocários) e também do preconceito e da desinformação que rondam estes temas. Trazer essa história para o contexto de um condomínio mostra que cada pessoa se relaciona de uma maneira com o tema. Tem a moderninha engajada, mas tem a japonesa que é do tempo em que todo mundo tinha roçado em casa; tem a síndica que faz o meio de campo, está desinformada mas aberta para a nova proposta; e claro, tem o vizinho mente fechada que não quer mudar o sistema. Continuar lendo

07 Set. 2019: “Martírio” de Vincent Carelli – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro, em parceria com a Taturana Mobilização Social, exibe e debate Martírio, de Vincent CarelliTatiana AlmeidaErnesto de Carvalho.

Sinopse: Uma análise da violência sofrida pelo grupo Guarani Kaiowá, uma das maiores populações indígenas do Brasil atualmente e que habita as terras do centro-oeste brasileiro. Os indígenas são vítimas de um constante conflito vindo das forças de repressão e opressão organizadas pelos latifundiários, pecuaristas e fazendeiros locais, que desejam exterminar os índios e tomar as terras para si. Continuar lendo

05 Set. 2019: “As Hiper Mulheres” de Carlos Fausto – CineMIS

Neste mês, a programação do CineMIS forma o Ciclo Natureza em Foco, “filmes brasileiros que, de alguma maneira, desbravam a natureza como cenário ou mesmo como assunto principal”. No próximo encontro, exibição de As Hiper Mulheres, de Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro.

Conheça a apresentação da proposta por Cristiane Senn, diretora do MIS:

“A programação, que tem minha curadoria e de Ana Paula Málaga, coordenadora de programação do museu, surge num contexto em que se fazem urgentes as reflexões sobre o chão em que pisamos. E o audiovisual é um ambiente de grande importância nesse contexto. A difusão de imagens e ideias de natureza – seja na forma de documentários investigativos, na observação de povos e culturas ou nas ficções em que a natureza se conecta aos seres de modo sutil – ajuda a promover a consciência do ser humano como parte da natureza e, portanto, como agente responsável de suas ações sobre ela.” 

Sinopse: Temendo a morte da esposa idosa, o marido pede que o sobrinho realize o Janurikumalu, o maior ritual feminino do Alto Xingu (estado de Mato Grosso, Brasil), para que ela possa cantar mais uma última vez. As mulheres do grupo começam os ensaios enquanto a única cantora que de fato sabe todas as músicas se encontra gravemente doente. Continuar lendo

04 Set. 2019: “A Transamazônica” de John E. Borring – Cine Camaleão

O encontro deste mês do cineclube Cine Camaleão exibe e debate os curtas-metragens A Transamazônica, de John E. Borring, De Volta À Terra Boa, de Mari Corrêa e Vincent Carelli e Mato Eles?, de Sergio Bianchi.

Confira a apresentação da programação feita por Weliton Tarelho, mediador do cineclube:

“Nossa próxima sessão cineclubista trata de conflitos gerados pelo modo de produção sobre a “vida indígena”, como a chamamos. Tema caríssimo ao momento histórico e à nossa maneira de enxergar o mundo que será herdado pelos que virão depois de nós. Serão exibidos  três curtas-metragens em bloco, no intuito de demonstrar as diferentes narrativas para fatos históricos. Nos dois primeiros curtas, as contradições geradas pelos ideais progressistas em um contexto ufanista permeiam a construção da Transamazônica, que hoje corta o Brasil de leste a oeste, do litoral da Paraíba até o meio da Amazônia. No terceiro curta, Sérgio Bianchi explora conflitos na reserva de Mangueirinha (Paraná), onde vivem índios Kaingang, Guaranis e Xetás (um único representante, que seria também o último sobrevivente de sua raça). O território contém instalado pela própria FUNAI uma serraria que já teria desmatado metade da reserva, o que compromete a viabilidade da caça e outras possíveis soluções de vida para os índios.”

Sinopses: A Transamazônica (Brasil, 1970, 9 min). O documentário trata da inauguração das obras da rodovia, com a presença do presidente Médici e do ministro dos transportes Mário Adreazza. A rodovia transamazônica foi sem dúvida a mais polêmica do regime militar. As intenções eram ótimas, mas os resultados foram catastróficos. De Volta À Terra Boa (Brasil, 2008, 21 min). Homens e mulheres Panará narram a trajetória de desterro e reencontro de seu povo com o território original. Falam de seus primeiros encontros com o “homem branco” em 1973, do exílio no Xingu e da luta e reconquista da posse de suas terras. Mato Eles? (Brasil, 1982, 34 min). O extermínio velado dos últimos índios da Reserva de Mangueirinha, no sudeste do Paraná, com a aprovação daqueles que supostamente os protegeriam. Com uma ironia cortante, as questões se desenvolvem como numa estrutura de teste de múltipla escolha. Continuar lendo

03 Set. 2019: “Taego Ãwa” de Henrique e Marcela Borela – CineMIS

Neste mês, a programação do CineMIS forma o Ciclo Natureza em Foco, “filmes brasileiros que, de alguma maneira, desbravam a natureza como cenário ou mesmo como assunto principal”. No próximo encontro, exibição de Taego Ãwa, de Henrique BorelaMarcela Borela.

Conheça a apresentação da proposta por Cristiane Senn, diretora do MIS:

“A programação, que tem minha curadoria e de Ana Paula Málaga, coordenadora de programação do museu, surge num contexto em que se fazem urgentes as reflexões sobre o chão em que pisamos. E o audiovisual é um ambiente de grande importância nesse contexto. A difusão de imagens e ideias de natureza – seja na forma de documentários investigativos, na observação de povos e culturas ou nas ficções em que a natureza se conecta aos seres de modo sutil – ajuda a promover a consciência do ser humano como parte da natureza e, portanto, como agente responsável de suas ações sobre ela.” 

Sinopse: Na UFG (Universidade Federal de Goiás), uma dupla de cineastas encontrou cinco fitas VHS contendo registros culturais da tribo Ãwa. Reunindo outros materiais, eles partem em busca do grupo retratado nos vídeos, apresentando as imagens a eles pela primeira vez e descobrindo a trajetória de enfrentamento com o povo branco desde 1973. Atualmente, os Ãwa lutam pela demarcação e restituição das terras da tribo. Continuar lendo

31 Ago. 2019: “Temporada” de André Novais Oliveira – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate Temporada, de André Novais Oliveira.

Sinopse: Juliana está se mudando de Itaúna, interior do estado de Minas Gerais (Brasil), para a periferia de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, para trabalhar no serviço de combate a endemias da região. No trabalho, ela conhece pessoas e vive situações pouco usuais que começam a mudar a vida dela. Ao mesmo tempo, ela enfrenta as dificuldades no relacionamento com o marido, que também está prestes a se mudar para a cidade grande. Continuar lendo

29 Ago. 2019: “Orin: Música Para Os Orixás” de Henrique Duarte – Cineclube Gengibirra

O Cineclube Gengibirra exibe e debate Orin: Música Para Os Orixás, de Henrique Duarte.

Confira a apresentação do Gengibirra acerca do próximo encontro:

“A Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988, diz o seguinte em seu Art. 5º, inciso VI: ‘É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias’.

O direito à liberdade religiosa está em nossa Constituição. Ainda assim, com uma frequência absurda nos deparamos com notícias de terreiros desrespeitados, destruídos, incendiados.

Não faz muito tempo, o Terreiro das Marias, em Curitiba, teve sua sede destruída em decorrência de um incêndio que possivelmente tenha sido criminoso. Infelizmente, esse não foi primeiro caso e, enquanto a ignorância e a intolerância reinarem, não será o último.

Nós do Cineclube Gengibirra acreditamos que o conhecimento e a arte libertam e são capazes de desconstruir ideias pré concebidas equivocadas, que tem como consequência a discriminação. Por isso o ciclo de exibições de 2019 é dedicado a usar o cinema como ferramenta para abordar temas que já deveriam estar há muito tempo resolvidos em nossa sociedade, mas que ainda PRECISAM ser discutidos.

Convidamos a todos para assistir conosco o filme Orin: Música Para os Orixás. Um filme profundamente elucidativo acerca do universo das religiões de matriz africana.

Vamos aprender juntos, e tentar desenvolver algumas ideias melhores!”

Sinopse: As músicas tocadas nos terreiros de candomblé tiveram grande influência na formação da música popular brasileira, emprestando ritmos que deram origem a diversos gêneros, abrangendo desde o samba e o baião até os mais recentes, como axé music e funk carioca. Orin é o nome em iorubá dado às cantigas sagradas que fazem a comunicação entre o mundo material e espiritual, por meio de uma relação íntima entre os ritmos, a dança e o canto que narra a mitologia dos Orixás. O longa-metragem acompanha a trajetória de Iuri Passos, professor de atabaque no terreiro do Gantois, em Salvador-BA, e primeiro alabê a conquistar o título de mestre em etnomusicologia pela UFBA. A atmosfera mística do transe é mostrada por meio de uma montagem sensorial construída com sons, imagens de rituais e performances artísticas. Também no filme, pais e mães de santo, etnomusicólogos, pesquisadores do candomblé e artistas, como Mateus Aleleuia (ex-integrante do grupo Os Tincoãs), Letireres Leite (maestro da Orkestra Rumpilezz), Gerônimo Santana (cantor e compositor) e Gabi Guedes (alabê e percussionista), trazem olhares sobre a resistência dessa cultura. Continuar lendo

29 Ago. 2019: “Menino De Engenho” de Walter Lima Jr. – CineMIS

A programação do CineMIS neste mês é formada de adaptações para o cinema de obras literárias icônicas. No próximo encontro, exibição de Menino De Engenho, de Walter Lima Jr..

Sinopse: 1920, estado da Paraíba, Brasil. Após a morte da mãe, o menino Carlinhos é enviado ao engenho de cana-de-açúcar Santa Rosa para ser criado pelo avô e pelos tios. Lá, ele testemunha a chegada de um novo tempo, com o advento das modernas usinas de açúcar e as transformações econômicas e sociais pelas quais passa a produção canavieira, mudanças essas que irão afetar a vida de todos. Quando ele ganha mais idade e vai para o colégio, já não é mais o garoto ingênuo e inocente que chegou no engenho alguns anos antes. Adaptação ao cinema do livro homônimo de José Lins do Rego. Continuar lendo

28 Ago. 2019: “Tito E Os Pássaros” de Gabriel Bitar – Cine Pipoca

O Cine Pipoca faz reexibição de Tito E Os Pássaros, de Gabriel Bitar, André Catoto e Gustavo Steinberg.

Sinopse: Tito é um menino que vive com a mãe. O pai abandonou a casa, após as experiências científicas dele terem arriscado a vida da família mais uma vez. Nunca mais deu notícias. Na cidade, começa a acontecer a epidemia de uma doença que está sendo chamada de “surto” na imprensa. Quem a contrai, passa a viver uma crônica sensação de medo, ininterrupta. Tito passa a procurar a cura da doença a partir do projeto de uma máquina que o pai deixou. Para isso, terá a ajuda dois velhos amigos e um inusitado amigo novo. Mas, não será nada fácil, pois empreendedores veem na doença uma oportunidade de novos negócios e muito lucro, e tentarão evitar que a cura seja buscada. Continuar lendo

28 Ago. 2019: “500 Almas” de Joel Pizzini – Conversas sobre o Cinema Brasileiro

O próximo encontro do Conversas sobre o Cinema Brasileiro tem exibição e debate de 500 Almas, de Joel Pizzini. Após a exibição, haverá debate com a presença do diretor do filme.

O Conversas é um projeto-cineclube organizado pelo EDUCINE – Laboratório de Cinema e Educação, que pertence à Universidade Estadual do Paraná – UNESPAR.

Sinopse: O delicado processo de reconstrução da memória e da identidade dos índios da etnia milenar Guató, realizada a partir de depoimentos dos próprios membros da comunidade e de reconstituições de crimes realizados por homens brancos contra eles. Os guatós formam uma tribo indígena da região do Pantanal mato-grossense (Brasil) que foi descoberta muitos e muitos anos após ter sido considerada extinta. Continuar lendo

24 Ago. 2019: “Legítima Defesa” de Susanna Lira – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado finaliza a Mostra “Cidadania na Tela: Filmes e Conversas sobre nossos Direitos” com Legítima Defesa, de Susanna Lira. Após a exibição, será realizado um debate com o público a partir do tema As Muitas Faces de uma História, tendo a participação de integrantes da Clínica de Direitos Humanos da UFPRInstituto Aurora.

ATENÇÃO para o novo horário: 16h00.

Sinopse: Legítima Defesa conta a história de três mulheres que, como tantas outras, foram vítimas de constantes agressões físicas e psicológicas por parte dos companheiros delas. Porém, contrariando as estatísticas e o destino comum à maioria, elas reagiram. Acusadas de homicídio, as três mulheres enfrentam o julgamento da Justiça, da sociedade e o delas próprias, enquanto tentam reconstruir a vida. Continuar lendo