24 Ago 2017: “Morgue Story – Sangue, Baiacu e Quadrinhos” de Paulo Biscaia Filho – Cine Esquina

O Cine Esquina continua a programação “Especial Terror e Ficção Científica” com Morgue Story – Sangue, Baiacu e Quadrinhos, de Paulo Biscaia Filho. O filme terá duas exibições no mesmo dia, as 12h00 e 18h00.

Sinopse: Ana Argento, uma quadrinista de sucesso frustrada em relacionamentos, encontra-se com dois homens solitários de vida curiosa. Tom é um vendedor de seguros de vida que sofre de catalepsia. Daniel Torres é um médico legista sociopata e estuprador, que tem um método de crime peculiar: envenena as vítimas com uma poção feita à base de baiacu, que induz à catalepsia. A vítima é considerada morta e enviada para o necrotério, mas, quando acorda, se depara com o legista esperando para estuprá-la e sufocá-la até a morte. Os planos começam a dar errado quando Tom também acorda no necrotério.  Continuar lendo

23 Ago. 2017: “Nunca Me Sonharam” de Cacau Rhoden – SESC Paço da Liberdade

O SESC Paço da Liberdade recebe o evento de lançamento no Paraná do documentário  Nunca Me Sonharam, de Cacau Rhoden. Após a exibição, o diretor do filme estará presente para falar sobre o filme e debate.

Sinopse: Nunca Me Sonharam nos convida ao diálogo sobre a realidade do Ensino Médio nas escolas públicas do Brasil. Na voz de estudantes, gestores, professores e especialistas, o filme questiona: como nós, enquanto sociedade, estamos cuidando e valorizando a qualidade da educação oferecida aos jovens na fase mais sensível e transformadora da vida deles? Continuar lendo

22 Ago. 2017: “Nervo Craniano Zero” de Paulo Biscaia Filho – Cine Esquina

O Cine Esquina continua a programação “Especial Terror e Ficção Científica” com Nervo Craniano Zero, de Paulo Biscaia Filho. O filme terá duas exibições no mesmo dia, as 12h00 e 18h00.

Sinopse: Com medo de uma crise criativa, uma escritora de sucesso chama um antigo namorado, neuro-cirurgião com o registro cassado, para reativar sua fracassada experiência que usa um chip indutor de criatividade ligado ao cérebro. Mas antes de usar nela mesma, ela contrata uma ingênua garota do interior para servir como cobaia. Continuar lendo

19 Ago. 2017: “Doméstica” de Gabriel Mascaro – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate Doméstica, de Gabriel Mascaro.

Sinopse: Sete adolescentes se transformam em cineastas amadores ao assumir a missão de registrar por uma semana a empregada doméstica das casas deles, e entregar o material bruto para o diretor realizar um filme com as gravações. Entre o choque da intimidade, as relações de poder e a performance do cotidiano, o filme lança um olhar contemporâneo sobre o trabalho doméstico no ambiente familiar e torna-se um potente ensaio sobre afeto e trabalho. Continuar lendo

18 Ago. 2017: “Mato Eles” de Sergio Bianchi – Conversas sobre o Cinema Brasileiro

O encontro deste mês do Conversas sobre o Cinema Brasileiro tem exibição e debate dos curtas-metragens Xetá, de Fernando Severo e Mato Eles?, de Sergio Bianchi. O Conversas é um projeto-cineclube organizado pelo EDUCINE – Laboratório de Cinema e Educação, que pertence à Universidade Estadual do Paraná – UNESPAR. Após as exibições, o debate contará com Fernando Severo, diretor do primeiro filme.

SinopsesXetá. Durante o desordenado processo de colonização do noroeste do Paraná, nas décadas de 1940 e 1950, foi avistada uma população indígena que até então havia tido pouquíssimo contato com o homem branco. Logo o povo Xetá foi expulso de suas terras, vitimado por ações de extermínio e os poucos sobreviventes foram dispersos para outros locais. A quase extinção dos Xetá acabou contribuindo para provocar um desastre ecológico irreversível na região. Mato Eles. O extermínio velado dos últimos índios da Reserva de Mangueirinha, no sudeste do Paraná, com a aprovação daqueles que supostamente os protegeriam. Com uma ironia cortante, as questões se desenvolvem como numa estrutura de teste de múltipla escolha. Continuar lendo

10 a 16 Ago. 2017: Mostra 30 Anos de Cinema Brasileiro – Espaço Itaú de Cinema

O Espaço Itaú de Cinema realiza a grandiosa Mostra 30 Anos de Cinema Brasileiro. Na programação, 32 filmes diferentes  e um evento de debate, tudo com entrada gratuita.

A Mostra foi planejada para marcar o aniversário de 30 anos do Instituto Itaú Cultural. A curadoria é de Adhemar Oliveira e abrange diferentes produções: do cinema paulista dos anos 1980, passando pela retomada e pós-retomada, até o novo cinema pernambucano, com temáticas que tratam do Brasil profundo e filmes que inspiram o debate sobre as questões de gênero, indígenas e raciais, entre outros.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

10/08, quinta-feira as 14h00: Martírio, de Vincent CarelliTatiana Almeida e  Ernesto de Carvalho
10/08, quinta-feira as 17h00: Madame Satã, de Karim Aïnouz
10/08, quinta-feira as 19h00: Santiago, de João Moreira Salles
10/08, quinta-feira as 21h00: Central Do Brasil, de Walter Salles

11/08, sexta-feira as 14h00: Narradores De Javé, de Eliane Caffé
11/08, sexta-feira as 16h30: 2 Filhos De Francisco, de Breno Silveira
11/08, sexta-feira as 19h00: Cidade de Deus, de Fernando Meirelles e Kátia Lund
11/08, sexta-feira as 21h30: É Proibido Fumar, de Anna Muylaert Continuar lendo

12 Ago. 2017: “Avenida Brasília Formosa” de Gabriel Mascaro – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate Avenida Brasília Formosa, de Gabriel Mascaro.

Sinopse: No limite da ficção, o documentário pretende traçar relações entre personagens do bairro de Brasília Teimosa, no Recife. Por meio da manipulação do diretor, os personagens reais reencenam a vida deles e estabelecem uma rede de relações fictícias (ou não), a fim de revelar a multiplicidade de sentidos para o tradicional bairro popular de Recife. Um dos personagens, Fábio, é garçom e cinegrafista. Registra importantes eventos no bairro. Fábio é contratado pela manicure Débora para fazer um videobook. Ela pretende tentar uma vaga no programa de televisão Big Brother. O filme constrói um rico painel sensorial sobre a arquitetura e faz da Avenida uma via de encontros e desejos. Continuar lendo

29 Jul. 2017: “Terra Em Transe” de Glauber Rocha – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Terra Em Transe, de Glauber Rocha.

Sinopse: O senador Porfírio Diaz detesta o povo e pretende tornar-se imperador de Eldorado, um país localizado na América do Sul. Porém, existem diversos homens que querem este poder, que resolvem enfrentá-lo. Enquanto isso, o poeta e jornalista Paulo Martins, ao perceber que Diaz é um falso candidato de oposição, muda de lado, abandonando o antigo protetor. Continuar lendo

28 Jul. 2017: “Aquarius” de Kleber Mendonça Filho – Sessão Sabedoria

A Sessão Sabedoria exibe e debate Aquarius, de Kleber Mendonça Filho.

Sinopse: Clara tem 65 anos, é jornalista aposentada, viúva e mãe de três adultos. Ela mora num apartamento localizado em bairro nobre do Recife, onde criou os filhos e viveu boa parte da vida. Interessada em construir um novo prédio no espaço, os responsáveis por uma construtora conseguiram adquirir quase todos os apartamentos do prédio, menos o dela. Por mais que tenha deixado bem claro que não pretende vendê-lo, Clara sofre todo tipo de assédio e ameaça para que mude de ideia.  Continuar lendo

26 e 27 Jul. 2017: Comemoração ao Dia dos Avós – Museu da Imagem e do Som

Museu da Imagem e do Som do Paraná exibe dois filmes em comemoração ao Dia dos Avós.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

26 de Julho, quarta-feira as 15h00. Cocoon, de Ron Howard. Um grupo de idosos invade uma residência para tomar banho em uma piscina que contém vários casulos alienígenas. A partir daí suas vidas se transformam: eles adquirem energia e vivacidade de pessoas jovens. Mas, até quando vão poder se beneficiar disso? Os seres que estão nos casulos começam a ficar doentes, devido a energia absorvida pelos idosos. O dilema em continuar ou não a prejudicar os seres se instaura entre o grupo, e um caminho de reflexão e aceitação se abre para eles.

Trailer: https://youtu.be/zohgyAAKF6M Continuar lendo

15 Jul. 2017: “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” de Daniel Ribeiro – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro.

Sinopse: Leo é um adolescente cego que, como qualquer adolescente, está em busca de seu lugar no mundo. Desejando ser mais independente, precisa lidar com suas limitações e a superproteção da mãe. Para decepção da inseparável melhor amiga, Giovana, ele planeja libertar-se da rotina fazendo uma viagem de intercâmbio. Porém, a chegada de Gabriel, um novo aluno na escola, desperta sentimentos até então desconhecidos por Leo, fazendo-o redescobrir sua maneira de ver o mundo. Continuar lendo

13 Jul. 2017: “Branco Sai, Preto Fica” de Adirley Queirós – CineDocs de 5ª

O CineDocs de 5ª exibe Branco Sai, Preto Fica, de Adirley Queirós.

Sinopse: Misto de ficção e documentário, o filme cria as imagens e sons a partir de uma história trágica: dois homens negros, moradores da maior localidade da periferia de Brasília, ficam marcados para sempre graças a uma ação criminosa de uma polícia racista e territorialista da Capital Federal. Essa polícia invade um baile black. Tiros, correria e a consumação da tragédia: um homem fica para sempre na cadeira de rodas, o outro perde a perna após um cavalo da polícia montada cair sobre ele. Mas esses homens não se sentem confortados em contar a história de maneira direta e jornalística. Eles querem fabular, querem outras possibilidades de narrar o passado, abrindo para um presente cheio de aventuras e ressignificações e propondo um futuro. Continuar lendo

08 Jul. 2017: “Iracema – Uma Transa Amazônica” de J. Bodanzky e O. Senna – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Iracema – Uma Transa Amazônica, de Jorge Bodanzky e Orlando Senna.

Sinopse: Em 1974, em plena ditadura, quando o governo militar alardeava a propaganda da construção do “Brasil Grande”, Jorge Bodanzky, Orlando Senna e Wolf Gauer filmam Iracema – Uma Transa Amazônica, ficção com feições documentais que se tornou um marco na cinematografia brasileira. O filme faz um contraponto à propaganda oficial da época sobre a Amazônia, revelando as queimadas, o trabalho escravo e a prostituição infantil através da história da menina ribeirinha Iracema, que, atraída pela cidade grande e pela lábia do motorista de caminhão Tião Brasil Grande, acaba se prostituindo às margens da rodovia Transamazônica. Proibido durante seis anos no Brasil, recebeu inúmeros prêmios em festivais internacionais. Em 1981, foi o grande vencedor do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Continuar lendo

08 Jul. 2017: “Branco Sai, Preto Fica” de Adirley Queirós – Cineclube de Cinema Brasileiro

O Cineclube de Cinema Brasileiro exibe e debate Branco Sai, Preto Fica, de Adirley Queirós.

Sinopse: Misto de ficção e documentário, o filme cria as imagens e sons a partir de uma história trágica: dois homens negros, moradores da maior localidade da periferia de Brasília, ficam marcados para sempre graças a uma ação criminosa de uma polícia racista e territorialista da Capital Federal. Essa polícia invade um baile black. Tiros, correria e a consumação da tragédia: um homem fica para sempre na cadeira de rodas, o outro perde a perna após um cavalo da polícia montada cair sobre ele. Mas esses homens não se sentem confortados em contar a história de maneira direta e jornalística. Eles querem fabular, querem outras possibilidades de narrar o passado, abrindo para um presente cheio de aventuras e ressignificações e propondo um futuro. Continuar lendo