14 Jul. 2018: “Elvira Madigan” de Bo Widenberg – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Elvira Madigan, de Bo Widenberg.

Sinopse: Enredo baseado na história real do relacionamento entre Elvira Madigan e Sixten Sparre. Ele, Sixten, um tenente do exército sueco, deixa a esposa e filhos e abandona o exército para fugir para a Dinamarca com a amada Elvira, uma artista de circo. Eles se conheceram numa passagem do circo pela Suécia, e depois vieram a se corresponder por mais de dois anos. A fuga faz do tenente um desertor. Juntos e sem dinheiro, passam a enfrentar muitas dificuldades.  Continuar lendo

Anúncios

07 Jul. 2018: “O Velho Fuzil” de Robert Enrico – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate O Velho Fuzil, de Robert Enrico.

Sinopse: Em 1944, um médico leva a família para o campo, tentando protegê-los das circunstâncias de guerra. Porém, chega o dia em que os nazistas matam a esposa e a filha, sem que ele possa reagir. O médico resolve buscar por vingança, munido apenas de uma velha espingarda. Continuar lendo

07 Jul. 2018: “A Bela Da Tarde” de Luis Buñuel – Psicanálise & Cinema

O projeto Psicanálise & Cinema exibe e debate A Bela Da Tarde, de Luis Buñuel.

O projeto, que acontece mensalmente no Museu Guido Viaro, pretende trabalhar o tema Psicanálise & Cinema a partir de filmes que permitem uma densa abordagem psicanalítica. O projeto é concebido e organizado pela psicanalista Elenice Milani, que conduzirá o debate após as exibições. A ideia principal do projeto é de deixar um espaço para o debate sobre os temas abordados, partindo sempre de um esclarecimento psicanalítico.

Confira a apresentação do filme por Elenice Milani: “Verdadeiro clássico, A Bela Da Tarde, filme francês de 1967, foi dirigido pelo surrealista Luis Buñuel, grande parceiro de Salvador Dalí. É baseado no livro de Joseph Kessel (1898-1979), escritor e jornalista nascido na Argentina, membro da Academia Francesa e seguidor da vertente do psicologismo francês.

Luis Buñuel, o mestre do surrealismo no cinema, foi também um grande pensador e critico feroz, sempre construindo na forma de uma rica e complexa rede de simbologia em suas obras. A Bela da Tarde, Intrigante e extremamente poético, nos faz mergulhar nas obscuridades do desejo, no mundo das pulsões, onde nem tudo pode ser explicado ou entendido racionalmente. Nada a se estranhar, visto que o mistério é um ingrediente essencial à vida humana. Mais importante do que decifrar quando a protagonista imagina ou sonha as coisas e quando as vive realmente, é deixar-se levar pela mente criativa e anti-convencional, não havendo diferença entre viver e sonhar: sonho bem real… Nisso, se acrescenta a absoluta presença da beleza aristocrática de Catherine Deneuve, em contraste com a vida promíscua da personagem Severine. O real e o onírico se misturam.

Não há respostas, apenas perguntas sem justificativas. É uma discussão psicológica, e não moralista, do caráter da personagem. Seria essa escolha fruto de um reedição de algum abuso sexual na infância dela? Ou a construção de uma fantasia de abuso sexual na infância, como nos relata Freud em seus estudos sobre a histeria? O filme traz um tema sempre atual, e pode ser relacionado à pergunta que a Psicanálise deixa, tanto em Freud quanto em Lacan: ‘Afinal, o que quer uma mulher…?'”

Sinopse: No enredo, Séverine, casada com um cirurgião de sucesso, é jovem e rica, mas infeliz. Acaba procurando um discreto bordel para realizar fantasias sexuais e conseguir o prazer que o marido não consegue dar à ela. Curiosa, Séverine termina acostumando-se a uma vida dupla. Até o aparecimento de Marcel, um delinquente que se enamora dela, e acaba por complicar a cômoda situação da protagonista. Continuar lendo

30 Jun. 2018: “Noites Com Sol” de Irmãos Taviani – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Noites Com Sol, de Paolo Taviani e Vittorio Taviani.

Nota: as 14h30 haverá também a sessão mensal do cineclube Cinema e Música, com Theremin – Uma Odisseia Eletrônica, de Steven M. Martin (clique aqui e saiba mais).

Sinopse: Século 18, sul da Itália. Um jovem barão é escolhido como o novo auxiliar do rei Carlos III. Após uma desilusão amorosa, decide se isolar numa modesta casa de campo e iniciar uma vida dedicada à espiritualidade. A busca existencial dele é abalada quando conhece uma sedutora mulher. Baseado no conto Padre Sérgio, do escritor russo Leon Tolstói. Continuar lendo

30 Jun. 2018: “Theremin – Uma Odisseia Eletrônica” de Steven M. Martin – Cinema e Música

O Museu Guido Viaro estreia neste ano mais um projeto de cineclube, além do tradicional Cineclube Espoletta: o Cinema e Música. Uma vez por mês, o Museu vai exibir e debater um filme que tenha na música um dos elementos centrais do enredo e/ou de sua estética, com início as 14h30.

O encontro deste mês exibe e debate Theremin – Uma Odisseia Eletrônica, de Steven M. Martin.

Nota: as 17h30 haverá o encontro do Cineclube Espoletta, normalmente, com Noites Com Sol, de Paolo Taviani e Vittorio Taviani (clique aqui e saiba mais).

Sinopse: Documentário biográfico sobre Leonard Theremin (Lev Sergeivitch Termen). O inventor russo migrou para o Estados Unidos, casou-se com uma dançarina e viveu entre a elite social de New York. Na década de 1920, além de inventar o primeiro instrumento musical eletrônico (o teremim), criou uma técnica de ‘entrelaçamento’ de linhas na imagem que melhorava a qualidade do sinal de vídeo, amplamente utilizada na televisão, além de diversos aparelhos utilizados em espionagem. Continuar lendo

23 Jun. 2018: “Daqui A Cem Anos” de William Cameron Menzies – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Daqui A Cem Anos, de William Cameron Menzies.

Sinopse: Baseado em uma obra de H.G. Wells, sendo o roteiro assinado por ele mesmo, este filme de 1936 perpassa 100 anos na História da humanidade, dos anos 1930 até o Século 21. O período é atravessado por guerras que duram décadas, uma peste que aniquila metade da população e a busca do espaço sideral para reconstrução da civilização. Continuar lendo

16 Jun. 2018: “Os Filhos Do Medo” de David Cronenberg – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Os Filhos Do Medo, de David Cronenberg.

Sinopse: Um psicólogo desenvolve uma controversa terapia para ajudar pessoas a se superarem os próprios medos. Entretanto, o marido de uma das pacientes começa a investigar o método para melhor entendê-lo. Quando uma série de ataques feitos por criaturas deformadas acontece, o marido passa a suspeitar da ligação entre o método do médico e os recentes acontecimentos. Continuar lendo

09 Jun. 2018: “Os Amores De Uma Loira” de Milos Forman – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Os Amores De Uma Loira, de Milos Forman.

Sinopse: Andula mora num lugar onde a proporção é de um homem para dezesseis mulheres. As chances de encontrar um amor eram pequenas e a probabilidade estava contra ela. Certo dia, um jovem pianista aparece na fábrica em que Andula trabalha, fazendo as chances mudarem. O enredo percorre a jornada de Andula, de forma engraçada mas sensível, dos primeiros sintomas do romance até a inevitável desilusão. Continuar lendo

09 Jun. 2018: “Retratos De Uma Mulher” de Jane Campion – Psicanálise & Cinema

O projeto Psicanálise & Cinema exibe e debate Retratos De Uma Mulher, de Jane Campion.

O projeto, que acontece mensalmente no Museu Guido Viaro, pretende trabalhar o tema Psicanálise & Cinema a partir de filmes que permitem uma densa abordagem psicanalítica. O projeto é concebido e organizado pela psicanalista Elenice Milani, que conduzirá o debate após as exibições. A ideia principal do projeto é de deixar um espaço para o debate sobre os temas abordados, partindo sempre de um esclarecimento psicanalítico.

Confira a apresentação do filme pelo cineclube: O filme “Retratos De Uma Mulher” dirigido por Jane Campion, é baseado no livro de Henry James publicado em 1881, que possui no Brasil o título Retrato De Uma Senhora. Este mostra que todos estão muito confortáveis em suas posições e não esperando muito da vida, sem grandes ambições.

A jovem e bela Isabel é de uma personalidade cativante que encanta a todos, e acaba provocando grandes sentimentos amorosos em seus admiradores. A despeito da corte que lhe fazem, ela não tem intenções de se envolver com ninguém. Seus planos dizem respeito a viagens pelo mundo, conhecendo pessoas em terras distantes, sem laços que a prendam a uma vida domestica e comum como tanto buscam a maioria das jovens de sua idade e de sua época. Com a fortuna que herda do tio, essa trajetória que ambiciona torna-se ainda mais facilitada. É bela, jovem e muito rica, se considera livre para escolher, inclusive escolher o “amor”, porém acaba se deparando com o engano da paixão, e acaba refém de seu narcisismo.

A psicanalise nos mostraria que toda essa liberdade que muitas vezes sonhamos, é o que constitui a nossa prisão. E o que mudou nesse tempo de hoje relativo a liberdade que a mulher conquistou?

Sinopse: Bela, rica e liberal, a americana Isabel Archer viaja pela Europa em busca da própria identidade como pessoa e como mulher. Ao mesmo tempo em que habilmente se desvencilha das investidas de Caspar Goodwood, um insistente americano que a seguiu até a Inglaterra, Isabel estreita a amizade com o próprio primo, Ralph Touchett. Porém, através da misteriosa Madame Merle, Isabel conhece Gilbert Osmond, um colecionador de objetos de arte, que a seduz e acaba casando-se com ela. Com o tempo, ela descobre as verdadeiras intenções que Osmond tem com o casamento. Continuar lendo

02 Jun. 2018: “Ophélia” de Claude Chabrol – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Ophélia, de Claude Chabrol.

Sinopse: O pai de Yvan morreu recentemente e a mãe se casa com o tio dele, irmão do pai, Adrien. Yvan se recusa a aceitar o novo casamento e cai num mundo de fantasia, onde ele acredita que a mãe e o tio são responsáveis pela morte do pai. Então Adrian morre repentinamente e Yvan descobre a verdadeira identidade do tio. Continuar lendo

26 Maio 2018: “A Mansão Macabra” de Dan Curtis – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate A Mansão Macabra, de Dan Curtis.

Sinopse: Ben e Marian conseguem alugar uma mansão por um valor estranhamente baixo. Depois que se mudam para a casa, Ben começa a ter explosões de violência, enquanto Marian passa a maior parte do tempo no quarto da velha senhora da qual tem que cuidar, mas que ninguém conhecia antes. À medida que “acidentes” vão acontecendo, a casa parece ficar mais nova a cada dia… E os moradores não têm como sair dela. Continuar lendo

26 Maio 2018: “Sinfonia Fantástica” de Christian-Jaque – Cinema e Música

O Museu Guido Viaro estreia neste ano mais um projeto de cineclube, além do tradicional Cineclube Espoletta: o Cinema e Música. Uma vez por mês, o Museu vai exibir e debater um filme que tenha na música um dos elementos centrais do enredo e/ou de sua estética, com início as 14h30.

O encontro deste mês exibe e debate Sinfonia Fantástica, de Christian-Jaque.

Nota: as 17h30 haverá o encontro do Cineclube Espoletta, normalmente, com A Mansão Macabra, de Dan Curtis. (clique aqui).

Sinopse: Cinebiografia do genial compositor Hector Berlioz (1803-1969), um dos ícones do Romantismo na França. Reconstitui momentos em que escreveu as principais obras dele, bem como aqueles em que regeu orquestras. Também recorda as amizades de Berlioz com célebres nomes das artes – entre elas o escritor Victor Hugo e o pintor Eugène Delacroix – e os envolvimentos amorosos do compositor.
Continuar lendo

19 Maio 2018: “Rififi” de Jules Dassin – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Rififi, de Jules Dassin.

Sinopse: Tony é um rapaz que, ao sair da prisão, descobre que a namorada não se manteve fiel à ele. Decide então a voltar ao mundo do crime… Começa a bolar um assalto de grandes proporções à uma joalheria, junto de comparsas. Porém, ele não contava que um dos parceiros iria cometer um erro fatal para a execução do plano. Continuar lendo

12 Maio 2018: “À Sombra Do Vulcão” de John Huston – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate À Sombra Do Vulcão, de John Huston.

Sinopse: Cuernavaca, México, 1938. Geoffrey, um ex-cônsul britânico, torna-se alcoólatra após separar-se de Yvonne. Resolve permanecer morando no México com o meio-irmão, Hugh, o pivô da separação. Geoffrey sempre aguarda a volta da mulher. No Dia de Finados, ela retorna repentinamente, com a finalidade de reatar o casamento. Entretanto, as marcas da separação eram maiores do que ela imaginava. Continuar lendo