21 Jul. 2018: “Rosa La Rose, Garota De Programa” de Paul Vecchiali – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Rosa La Rose, Garota De Programa, de Paul Vecchiali.

Sinopse: Rosa la Rose é a mais bela prostituta de Les Halles. Todos os clientes a desejam e ela não nega nenhum deles. O cafetão é um homem compreensivo e generoso. Sobre a vida de Rosa há pouco a contar. Até que surge um jovem chamado Julien e ela se apaixona. Mas valerá a pena deixar a vida atual por uma loucura de amor? Continuar lendo

Anúncios

19 Jul. 2018: “Sonata De Outono” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Sonata De Outono.

Sinopse: Após ter sido uma mãe ausente por anos, Charlotte, renomada pianista, vai até a casa da filha Eva para uma visita. Ela se surpreende ao encontrar uma outra filha, Helena, que sofre de problemas mentais. Eva tirou Helena da instituição que Charlotte a havia internado para cuidar dela em casa. A tensão entre mãe e filha começa a crescer e vai se intensificando, até colocarem tudo em panos limpos, dizendo uma à outra tudo que sempre quiseram dizer. Continuar lendo

07 Jul. 2018: “O Velho Fuzil” de Robert Enrico – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate O Velho Fuzil, de Robert Enrico.

Sinopse: Em 1944, um médico leva a família para o campo, tentando protegê-los das circunstâncias de guerra. Porém, chega o dia em que os nazistas matam a esposa e a filha, sem que ele possa reagir. O médico resolve buscar por vingança, munido apenas de uma velha espingarda. Continuar lendo

07 Jul. 2018: “A Bela Da Tarde” de Luis Buñuel – Psicanálise & Cinema

O projeto Psicanálise & Cinema exibe e debate A Bela Da Tarde, de Luis Buñuel.

O projeto, que acontece mensalmente no Museu Guido Viaro, pretende trabalhar o tema Psicanálise & Cinema a partir de filmes que permitem uma densa abordagem psicanalítica. O projeto é concebido e organizado pela psicanalista Elenice Milani, que conduzirá o debate após as exibições. A ideia principal do projeto é de deixar um espaço para o debate sobre os temas abordados, partindo sempre de um esclarecimento psicanalítico.

Confira a apresentação do filme por Elenice Milani: “Verdadeiro clássico, A Bela Da Tarde, filme francês de 1967, foi dirigido pelo surrealista Luis Buñuel, grande parceiro de Salvador Dalí. É baseado no livro de Joseph Kessel (1898-1979), escritor e jornalista nascido na Argentina, membro da Academia Francesa e seguidor da vertente do psicologismo francês.

Luis Buñuel, o mestre do surrealismo no cinema, foi também um grande pensador e critico feroz, sempre construindo na forma de uma rica e complexa rede de simbologia em suas obras. A Bela da Tarde, Intrigante e extremamente poético, nos faz mergulhar nas obscuridades do desejo, no mundo das pulsões, onde nem tudo pode ser explicado ou entendido racionalmente. Nada a se estranhar, visto que o mistério é um ingrediente essencial à vida humana. Mais importante do que decifrar quando a protagonista imagina ou sonha as coisas e quando as vive realmente, é deixar-se levar pela mente criativa e anti-convencional, não havendo diferença entre viver e sonhar: sonho bem real… Nisso, se acrescenta a absoluta presença da beleza aristocrática de Catherine Deneuve, em contraste com a vida promíscua da personagem Severine. O real e o onírico se misturam.

Não há respostas, apenas perguntas sem justificativas. É uma discussão psicológica, e não moralista, do caráter da personagem. Seria essa escolha fruto de um reedição de algum abuso sexual na infância dela? Ou a construção de uma fantasia de abuso sexual na infância, como nos relata Freud em seus estudos sobre a histeria? O filme traz um tema sempre atual, e pode ser relacionado à pergunta que a Psicanálise deixa, tanto em Freud quanto em Lacan: ‘Afinal, o que quer uma mulher…?'”

Sinopse: No enredo, Séverine, casada com um cirurgião de sucesso, é jovem e rica, mas infeliz. Acaba procurando um discreto bordel para realizar fantasias sexuais e conseguir o prazer que o marido não consegue dar à ela. Curiosa, Séverine termina acostumando-se a uma vida dupla. Até o aparecimento de Marcel, um delinquente que se enamora dela, e acaba por complicar a cômoda situação da protagonista. Continuar lendo

02 Jul. 2018: “O Açougueiro” de Claude Chabrol – Cine FAP

O Cine FAP exibe e debate O Açougueiro, de Claude Chabrol.

Sinopse: Diretora de uma escola, em uma cidadezinha no interior da França, começa um relacionamento amoroso com o açougueiro local, recém saído de uma carreira de quinze anos no exército. Paralelamente, uma série de assassinatos brutais começam a ocorrer na região. Continuar lendo

30 Jun. 2018: “Le Tableau (O Quadro)” de Jean-François Laguionie – Cineclube Aliança Francesa

Reexibição do encontro deste mês do Cineclube Aliança Francesa, agora no Cine Guarani. Exibição e debate de Le Tableau (O Quadro), de Jean-François Laguionie.

Sinopse: Um castelo, jardins floridos, uma floresta ameaçadora: esse é o quadro de um pintor, que por algum motivo misterioso o deixa inacabado. No quadro vivem três tipos de personagens: os “Toupin” que são totalmente pintados, os “Pafinis”, em quem faltam algumas cores, e os “Reuf”, que são apenas esboços. Os “Toupin” consideram-se superiores, e por isso tomam o poder e escravizam os “Pafinis” e os “Reuf”. Convencidos de que só o pintor pode restaurar a harmonia ao terminar o quadro, Ramo, Lola e Plume decidem sair à procura dele. Continuar lendo

30 Jun. 2018: “Theremin – Uma Odisseia Eletrônica” de Steven M. Martin – Cinema e Música

O Museu Guido Viaro estreia neste ano mais um projeto de cineclube, além do tradicional Cineclube Espoletta: o Cinema e Música. Uma vez por mês, o Museu vai exibir e debater um filme que tenha na música um dos elementos centrais do enredo e/ou de sua estética, com início as 14h30.

O encontro deste mês exibe e debate Theremin – Uma Odisseia Eletrônica, de Steven M. Martin.

Nota: as 17h30 haverá o encontro do Cineclube Espoletta, normalmente, com Noites Com Sol, de Paolo Taviani e Vittorio Taviani (clique aqui e saiba mais).

Sinopse: Documentário biográfico sobre Leonard Theremin (Lev Sergeivitch Termen). O inventor russo migrou para o Estados Unidos, casou-se com uma dançarina e viveu entre a elite social de New York. Na década de 1920, além de inventar o primeiro instrumento musical eletrônico (o teremim), criou uma técnica de ‘entrelaçamento’ de linhas na imagem que melhorava a qualidade do sinal de vídeo, amplamente utilizada na televisão, além de diversos aparelhos utilizados em espionagem. Continuar lendo

29 Jun. 2018: “120 Batimentos Por Minuto” de Robin Campillo – Cine FAP

O Cine FAP finaliza a Mostra Queer com exibição e debate 120 Batimentos por Minuto, de Robin Campillo.

O cineclube está realizando a Mostra Queer às sextas-feiras, em paralelo aos encontros regulares das segundas-feiras.

Sinopse: ​França, início dos anos 1990. Com a epidemia da AIDS já tendo levado inúmeras vidas na última década, o grupo ativista Act Up-Paris potencializa as formas de ação, a fim de lutar contra a indiferença geral. Nathan, um novato no grupo, tem o mundo abalado por Sean, um militante radical. Continuar lendo

23 Jun. 2018: “Paixão” de Brian de Palma – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Paixão, de Brian De Palma.

Sinopse: No enredo, uma cruel luta pelo poder entre duas executivas de alto nível. Christine é elegante, confiante e ambiciosa. Já Isabelle, novata protegida por Christine, é tímida mas brilhante, e começa a ter algumas das ideias dela roubadas… Christine instaura um jogo perverso, humilhando e dominando Isabelle. Continuar lendo

23 Jun. 2018: “Cemitério De Esplendor” de Apichatpong Weerasethakul – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado prossegue o Ciclo Cinema Oriental com Cemitério De Esplendor, de Apichatpong Weerasethakul.

Sinopse: Numa pequena cidade da Tailândia, vinte e sete soldados são vítimas de uma estranha doença do sono. Para tratá-los, uma escola abandonada serve como abrigo. Uma mulher tailandesa de meia-idade, casada com um soldado americano aposentado, trabalha como voluntária no tratamento dos pacientes. Ela cria um interesse especial por Itt, que nunca recebe visitas. Continuar lendo

16 Jun. 2018: “O Segredo Das Águas” de Naomi Kawase – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado dá continuidade ao Ciclo Cinema Oriental com O Segredo Das Águas, de Naomi Kawase.

Sinopse: Na ilha japonesa de Amami-Oshima, as tradições envolvendo a natureza são eternas. Durante uma noite de danças tradicionais em agosto, o adolescente Kaito descobre um cadáver flutuando no mar. A namorada Kyoko tenta ajudá-lo a compreender a misteriosa descoberta. Juntos, Kaito e Kyoko aprenderão o que é se tornar um adulto, experimentando as delicadas relações entre vida, morte e amor. Continuar lendo

16 Jun. 2018: “Le Tableau (O Quadro)” de Jean-François Laguionie – Cineclube Aliança Francesa

O Cineclube Aliança Francesa exibe e debate Le Tableau (O Quadro), de Jean-François Laguionie.

O filme será reexibido em 30/06 no Cine Guarani.

Sinopse: Um castelo, jardins floridos, uma floresta ameaçadora: esse é o quadro de um pintor, que por algum motivo misterioso o deixa inacabado. No quadro vivem três tipos de personagens: os “Toupin” que são totalmente pintados, os “Pafinis”, em quem faltam algumas cores, e os “Reuf”, que são apenas esboços. Os “Toupin” consideram-se superiores, e por isso tomam o poder e escravizam os “Pafinis” e os “Reuf”. Convencidos de que só o pintor pode restaurar a harmonia ao terminar o quadro, Ramo, Lola e Plume decidem sair à procura dele. Continuar lendo

15 Jun. 2018: “Querelle” de Rainer Werner Fassbinder – Cine FAP

O Cine FAP começa a Mostra Queer com exibição e debate do curta-metragem Canção De Amor, de Jean Genet e do longa-metragem Querelle, de Rainer Werner Fassbinder.

O cineclube realizará a Mostra Queer às sextas-feiras, em paralelo aos encontros regulares das segundas-feiras.

Sinopse: Canção De Amor. A trama deste se passa numa prisão francesa, onde um guarda sente prazer ao vigiar as tentativas dos prisioneiros de amarem-se entre si, que vão desde recorrentes atos masturbatórios até a troca de flores em celas contíguas. Querelle. O marujo francês Querelle chega à cidade de Brest e passa a frequentar um estranho bordel. Logo, descobre que o irmão Robert é amante da dona do lugar, Lysiane. “Aqui você pode jogar dados com Nono, o marido de Lysiane: se você ganhar, pode fazer amor com ela; se perder, terá de fazer amor com Nono…”. Querelle perde de propósito. Continuar lendo

12 Jun. 2018: “Amar, Beber E Cantar” de Alain Resnais – Cine Esquina

O Cine Esquina exibe Amar, Beber E Cantar, de Alain Resnais.

Sinopse: Um grupo de teatro amador está ensaiando uma nova peça, quando uma notícia triste abala a todos: George, amigo próximo da trupe, está doente. De acordo com os médicos, ele tem no máximo seis meses de vida. Enquanto as mulheres do grupo começam a relembrar a antiga paixão pelo mulherengo George, os homens têm uma ideia inusitada: e se o amigo doente fosse chamado para interpretar um dos personagens da peça? Continuar lendo