26 Jun. 2017: “Os Eternos Desconhecidos” de Mario Monicelli – Cine FAP

O Cine FAP exibe e debate Os Eternos Desconhecidos, de Mario Monicelli.

Sinopse: Sátira aos filmes de assalto que acompanha as peripécias de Peppe, um ex-boxeador que está cansado de viver de pequenos golpes e resolve fazer o “assalto perfeito”. A quadrilha dele é formada por um fotógrafo sem câmara, um ladrão aposentado, um ex-jóquei e um siciliano. O plano é encarado como perfeito, mas será que tem como dar certo? Continuar lendo

19 Jun. 2017: “Síndrome Mortal” de Dario Argento – Cine FAP

O Cine FAP exibe e debate Síndrome Mortal, de Dario Argento.

Sinopse: A policial Anna Manni está tentando capturar um estuprador e assassino. Ela sofre da Síndrome de Stendhal, doença psicossomática que a faz sofrer vertigens e alucinações quando ela é exposta à visão de obras de arte de extraordinário valor estético. Isso vai trazer complicações quando ela chegar ao Museu Uffizi seguindo pistas do criminoso. Continuar lendo

07 a 15 Jun. 2017: 6º Olhar de Cinema: Festival Internacional de Curitiba – Grafo Audiovisual

Está chegando a sexta edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba. O Festival é realizado pela produtora Grafo Audiovisual e Ministério da Cultura.

O Olhar de Cinema de 2017 engloba 125 filmes, entre curtas-metragens e longas-metragens de diversos países da maioria das partes do mundo. Além dos filmes, muitas outras atividades são realizadas, que serão melhor apresentadas logo a seguir. Confira o texto oficial de introdução ao festival:

6º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba | 7 a 15 de junho de 2017

A presente edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba acontece num contexto sócio-político e cultural completamente distinto daquele no qual o festival surgiu em 2012. Em apenas cinco anos o país sofreu uma guinada sobre a qual ainda se fazem necessárias análises e reflexões, para as quais acreditamos que o cinema pode dar a contribuição dele. Refletindo o momento atual, em que o acirramento dos embates se fazem cada vez mais frequentes e violentos, em que as fronteiras entre realidade e ficção estão tão embaralhadas que possibilita o surgimento do conceito de Pós-Verdade ou Política Pós-Factual, a identidade visual do VI Olhar de Cinema – FIC, assinada pela artista Sandra Hiromoto, ilustra bem o que se pretende com esta edição do festival: provocar e convidar o público à reflexão acerca do papel do cinema como ferramenta de sensibilização e resistência coletiva.

Com 125 filmes vindos de diferentes partes do mundo, além de Oficinas, Seminário, Encontros de Negócios, Masterclass, festas e Debates, o Olhar de Cinema – FIC ocupa diferentes espaços na cidade de Curitiba, oferecendo ao longo de 9 dias uma ampla, acessível e variada programação. Continuar lendo

05 Jun. 2017: “Férias Frustradas De Verão” de Greg Mottola – Cine FAP

O Cine FAP exibe e debate Férias Frustradas De Verão, de Greg Mottola.

Sinopse: James Brennan acaba de se formar na faculdade e está se preparando para tomar cerveja alemã, visitar famosos museus ou flertar com charmosas francesinhas nas tão sonhadas férias pela Europa. Mas, os pais reservam a ele uma desagradável surpresa e, ao invés de arrumar as malas, ele terá que arrumar um emprego… E assim, entre várias tentativas em descolar um trabalho, ele se prepara para passar as férias de verão dando duro num parque de diversão, ao lado de crianças barulhentas e pais não menos briguentos. Mas, como a vida traz muitas surpresas, sua bela colega de trabalho começa a dar bola e ele percebe que nem tudo está perdido. “Assim como em ‘Superbad’, Mottola evita soluções fáceis e foge dos estereótipos – seu filme é povoado por pessoas reais, não apenas personagens. Mais inteligente e profundo que o cinema adolescente norte-americano costuma ser.” (Silvio Pilau) Continuar lendo

29 Mai. 2017: “Brasilianas” de Humberto Mauro – Cine FAP

O Cine FAP exibe e debate Brasilianas, de Humberto Mauro.

Sinopse: Série de curtas-metragens sobre canções populares dirigidas por Humberto Mauro entre 1945 e 1964, no Instituto Nacional de Cinema Educativo (INCE). Série Brasilianas n.1, 1945: Canções Populares – Chuá Chuá e Casinha Pequenina. Aspectos da natureza inspirados nas canções populares. Série Brasilianas n.2, 1948: Canções Populares – Azulão e O Pinhal. Interpretação cinematográfica das canções populares “Azulão” e “O Pinhal”. Série Brasilianas n.3, 1954: Aboio e Cantigas. O canto utilizado pelo vaqueiro para reunir a boiada. Série Brasilianas n.4, 1955Engenhos e Usinas: Música Folclórica Brasileira. O abandono dos primitivos engenhos, superados pela tecnologia das modernas usinas. Série Brasilianas n.5, 1955: Cantos De Trabalho – Música Folclórica Brasileira. O ritmo de músicas inspiradas nas atividades do trabalho: apresentação dos cantos do pilão, do barqueiro e da pedra. Série Brasilianas n.6, 1956Manhã Na Roça: Carro De Bois. O carro de boi ainda faz parte das paisagens do sertão brasileiro, misturando utilidade e poesia. Série Brasilianas n.7, 1956: Meus Oito Anos – Canto Escolar. Interpretação cinematográfica do poema homônimo de Casimiro de AbreuA Velha A Fiar (1964). Uma espécie de videoclipe com a música popular homônima, na versão do grupo musical Trio Irakitan. Continuar lendo

16 a 21 Mai. 2017: 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos – SESC da Esquina

Na próxima semana, começa em Curitiba a 11ª edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos. A Mostra já está consagrada como uma das mais importantes do país em abrangência geográfica (é a única que acontece em todas as capitais!), importância cultural e oportunidade de exibição a cineastas que fazem da sua arte um instrumento de conscientização, reflexão e mobilização social.

Neste ano, a Mostra CDH acontece no SESC da Esquina.

Segue abaixo o texto oficial de apresentação:

11ª edição da Mostra de Cinema e Direitos Humanos exibe 37 filmes em Curitiba de 16 a 21 de maio.

O Teatro Sesc da Esquina será o palco em Curitiba das sessões da décima primeira edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos, uma realização do Ministério de Direitos Humanos, com produção nacional do Instituto Cultura em Movimento – ICEM e patrocínio da Petrobras e do Itaú. A Mostra será realizada nas 26 capitais do país e no Distrito Federal, em centros culturais, instituições públicas e privadas e escolas. Em Curitiba, acontece de 16 a 21 de maio. A Mostra Cinema e Direitos Humanos é uma das estratégias do Governo Federal para a consolidação da cultura e educação em Direitos Humanos, ampliando espaços de debate e discussão por meio da linguagem cinematográfica e contribuindo para o exercício da solidariedade e do respeito às diversidades.

Nesta edição, o circuito principal conta com 29 filmes entre curtas, médias e longas-metragens, divididos em três mostras: Panorama, Temática – que abordará questões de gênero, e Homenagem – com foco na obra da cineasta Laís Bodansky. Uma novidade este ano é a Mostrinha, voltada para o público infanto-juvenil, com 8 curtas-metragens na programação. Continuar lendo

08 a 12 Fev. 2017: Mostra Ficção Viva: Pedro Costa & Víctor Erice – Caixa Cultural

A produtora Tambor Multiartes, com o apoio da CAIXA Cultural Curitiba, realiza a Mostra Ficção Viva: Pedro Costa & Víctor Erice.

São 20 filmes em 15 sessões, entre curtas, médias e longas-metragens, sendo a filmografia quase completa de dois dos principais cineastas da história do cinema de Portugal e Espanha. Dos filmes, são três longas de Víctor Erice, oito de Pedro Costa, um trabalho realizado em conjunto e duas sessões de curtas. A exceção na programação é o filme do diretor Aurélien Gerbault: em Tudo Refloresce, Gerbault documenta as filmagens de Juventude em Marcha (2006), de Pedro Costa.

Ainda que bastante reconhecidos pela crítica, Pedro Costa e Víctor Erice são pouco conhecidos pelo público brasileiro. “A mostra é a primeira no Brasil que relaciona a obra de Costa e Erice, dois dos mais relevantes realizadores contemporâneos, com seleção tão abrangente de suas obras”, diz Marcelo Munhoz, um dos curadores da mostra.

As sessões de 19h00 serão comentadas. Na Mostra há também workshops, porém as inscrições estão encerradas. Dos convidados para as sessões comentadas, destaca-se a portuguesa Patrícia Saramago, os brasileiros Matheus Kerniski e Victor Guimarães e a espanhola Clara Sanz, especialista na obra de Erice. O próprio Pedro Costa, que estará em Curitiba, comentará na noite de sábado (11) “O Sul” (1983), do colega espanhol, e no domingo (12), Costa e a montadora Patrícia Saramago comentarão “No Quarto da Vanda” (2000), de Pedro Costa.

Workshops

Além dos filmes, o público ainda terá a chance de participar de workshops, realizados de manhã. As inscrições já estão encerradas.

Nos quatro dias do workshop, haverá dois temas. Na quinta e sexta-feira (9 e 10), a montadora portuguesa Patrícia Saramago tratará da montagem na obra de Pedro Costa. Patrícia é responsável pela montagem de alguns dos filmes mais marcantes do cinema português dos anos 2000, trabalhando no processo de nove realizações de Pedro Costa.

No sábado e no domingo (11 e 12) será a vez do diretor Pedro Costa comandar os trabalhos em seu workshop “O Ciclo das Fontaínhas”, considerada a parte mais significativa da obra dele. O Ciclo iniciou em 1997 com Ossos, passando por No Quarto Da Vanda (2000), Juventude Em Marcha (2006) e Cavalo Dinheiro (2014).

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

08 de Fevereiro de 2017, quarta-feira, as 14h00. O Sangue, de Pedro Costa (1989). Uma terra de província. Natal, fim de ano. Dois irmãos. Vicente tem 17 anos; Nino, 10. Juram guardar um segredo, que tem a ver com as frequentes ausências do pai. Apenas uma moça, Clara, partilha esse segredo com Vicente. Classificação Indicativa: 16 anos. Continuar lendo

22 e 24 Nov. 2016: “Territoriar: Ambientes Educativos Inspiram Novas Aprendizagens” – Cinemateca de Curitiba

A Cinemateca de Curitiba recebe o documentário de curta-metragem Territoriar: Ambientes Educativos Inspiram Novas Aprendizagens. Após as exibições, haverá bate-papo e debate com a equipe do projeto.

Lançado pela Rede Marista de Solidariedade, por meio do Centro Marista de Defesa da Infância, e com produção da Catalunya Filmes, o documentário tem 35 minutos e traz à pauta reflexões sobre a qualidade e permanência escolar na educação pública brasileira.

“Entendemos este documentário como ferramenta de disseminação e democratização dos estudos e reflexões que realizamos no assessoramento a outras instituições. É também um momento de formação e reflexão sobre as práticas educacionais que entendem a relevância de se considerar e valorizar os ambientes educativos, os territórios, a comunidade, a participação infantil e a arquitetura como imprescindíveis na aprendizagem”, afirma Bárbara Pimpão, coordenadora do projeto.

image009

Sinopse: Com base em entrevistas e relatos registrados durante a execução do Projeto Territoriar, o documentário discute o modelo de escola atual, com destaque para o modelo arquitetônico, as relações com o território e a participação da comunidade na organização escolar. A narrativa apresenta, ainda, o projeto Territoriar como uma prática que visa contribuir na qualificação da educação pública do país, propondo a participação da comunidade na ressignificação de espaços educativos do Primeiro Ciclo do Ensino Fundamental, considerando a convivência, a humanização, a ludicidade, a investigação e o sentimento de pertencimento territorial. Continuar lendo

1º a 05 Nov. 2016: Cine Tornado Festival – Fundação Cultural de Curitiba

A Cinemateca de Curitiba e o Cine Guarani recebem a edição de 2016 do Cine Tornado Festival. A produção é de Curitiba e São Paulo, com curadoria da antropóloga e cineasta Eveline Stella de Araujo e do artista e cineasta Roderick Steel.

Entre outras linhas temáticas, o Festival congrega a Mostra “Arte e Política Reloaded” e a Mostra “Religiosidades e Filmes Etnográficos”.

Confira o texto oficial de apresentação do Festival:

Em uma macro sociedade do espetáculo, saber compor curadorias que aproximem expressões locais e expressões globais é uma arte que estimula o diálogo entre as artes indie e mainstream. O Cine Tornado Festival permite esse deslocar dos filmes de seu local de produção para gerar conhecimento e redes de relação que fomentam o Cinema, pelo caráter nacional e internacional que o caracteriza. Um festival de filmes feito no e do Brasil para o mundo, com parcerias e ideais de renovação do cinema, contando com diretores nacionais e internacionais. A programação atende a três eixos básicos:

1) exibição de acervos de digitalização (parceria com os centros de memória, tais como, cinematecas ou memoriais nacionais e internacionais), estimulando a divulgação de filmes restaurados e digitalizados, contando assim um pouco da história do cinema por meio dos próprios filmes; Continuar lendo

06 a 09 Out. 2016: 12º Curta 8 – Caixa Cultural de Curitiba

O Curta 8 – Festival Internacional de Cinema Super-8 de Curitiba chega a sua 12ª Edição, reunindo filmes e vídeos experimentais em formato 8 mm, o famoso Super 8.

CLIQUE AQUI e confira a programação completa.

2016_10_curta_8_12a_edicao

12º Curta 8 – Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba

06 a 09 de Outubro de 2016, quinta-feira a domingo

Entrada Gratuita

Local: Teatro da Caixa Cultural

Rua Conselheiro Laurindo, 280, bairro Centro, Curitiba/PR – para ver mapa, clique aqui

Contatos: (41) 2118-5111, caixacultural.pr@caixa.gov.br

*A partir de informações do Curta 8

> Acompanhe o Blog também pelo Facebook!

www.facebook.com/pages/cinemaemcuritiba

>> Se inscreva para receber o Boletim (Newsletter) do Blog em seu email! O campo de inscrição está na coluna ao lado direito da página inicial do blog.

30 Ago. 2016: Mostra Doc Nomads/ULHT – FAP

AlunosCinemaUnesparnaLusofona2A Faculdade de Artes do Paraná da Universidade Estadual do Paraná – FAP/UNESPAR realiza exibição e debate de cinco documentários em curta-metragem, produzidos por estudantes da FAP em intercâmbio no programa Doc Nomads e Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

No programa, os filmes Terra, de Flora Suzuki; Corpo, de Anna Clara Petracca; Fluir, de Duda Berlitz; Gulami And Me e O Retorno Em Sonho, ambos de Shai Oliva Alon.

Confira as sinopses dos filmes clicando aqui. Continuar lendo

23 a 28 Ago. 2016: Mostra Buster Keaton – Caixa Cultural

A Caixa Cultural Curitiba apresenta a Mostra Buster Keaton – O Palhaço Que Não Ri. Sem dúvidas, uma das mais importantes mostras de cinema em 2016 não só de Curitiba, mas do país. Um verdadeiro privilégio aos verdadeiros apaixonados por cinema.

O evento traça uma retrospectiva em homenagem ao cineasta no ano em que sua morte completa meio século. Buster Keaton (1895-1966) é um dos principais nomes do cinema americano e quase uma unanimidade na comédia muda, dividindo com Charlie Chaplin o posto de maior ator e diretor do gênero. As sessões terão ingressos a R$ 4 e R$ 2 (meia-entrada).

Com curadoria de João Mussato e Rodrigo Grota, a mostra exibirá 31 filmes, todos eles da fase do cinema mudo. Entre os filmes escolhidos, estão clássicos conceituados da carreira de Keaton, como Sherlock Jr. (1924) e A General (1926); mas também uma parte menos conhecida de seu trabalho, como os curtas-metragens.

Este é o primeiro evento no ano a celebrar a obra de Keaton no Brasil. Para João Mussato, idealizador do projeto, a mostra pretende aproveitar o cinquentenário da morte do autor para relembrar que a obra dele continua viva. “A retrospectiva é uma maneira de reviver o período do cinema mudo, relembrar como era preciso reinventar-se para fazer filmes cuja qualidade consistia em ações, e não em diálogos”, explica.

Para o curador Rodrigo Grota, essa será uma oportunidade rara de assistir a essas obras em tela grande: “Nossa relação com Keaton vem dos filmes lançados em vídeo no Brasil. É muito difícil poder assistir a seus filmes na sala escura. E isso é algo essencial nesse caso, pois Keaton é um cineasta que trabalha o espaço como poucos. Seus filmes são extremamente plásticos, poéticos, precisam da ideia de amplitude para concretizar a proposta do diretor”, comemora.

Outro destaque são as programações especiais. Duas palestras, uma inaugural e outra de encerramento, serão ministradas pelo crítico Luiz Carlos Oliveira Junior e pelo cineasta Murilo Hauser, respectivamente. Ao longo da semana, convidados locais, entre críticos e realizadores, vão comentar os últimos filmes de cada dia. A mostra ainda contará com um catálogo exclusivo – o primeiro publicado dedicado a Buster Keaton no Brasil. A publicação poderá ser retirada com a apresentação de dois ingressos da mostra.

Saiba um pouco mais sobre Buster Keaton

Nascido como Joseph Frank Keaton Jr. em 1895, Buster Keaton esteve ligado ao vaudeville (mistura de circo e teatro) desde cedo. Chegou a contracenar com os pais em um número chamado Os Três Keatons. A partir de 1920, começou a realizar seus próprios filmes, após fazer pontas em algumas produções.

Uma de suas inovações foi a figura do protagonista que não muda suas feições no decorrer das ações, permanecendo-se impassível. O nome da mostra faz referência a essa técnica utilizada por ele. O cineasta acabou perdendo o controle criativo de suas produções ao assinar contratos com grandes estúdios e a carreira caiu em decadência.

Voltou a ficar em evidência apenas em 1952, quando participou do filme Luzes Da Ribalta, de Charlie Chaplin. Curiosamente, a produção fala sobre um artista em decadência. Essa foi a única dobradinha dos dois famosos comediantes em uma mesma obra.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

23 de Agosto, terça-feira, as 19h30. Cerimônia de Abertura e exibições de One Week (Uma Semana) e Sherlock Jr. (Bancando O Águia) (69 min). Após a sessão, palestra de Luiz Carlos Oliveira Junior, crítico e pesquisador de cinema Continuar lendo

17 a 20 Ago. 2016: 6º Festival de Cinema Polonês – Cinemateca de Curitiba

O Instituto Polonês de Cinema e Embaixada da República da Polônia em Brasília, em parceria com a Cinemateca, trazem a Curitiba o 6º Festival de Cinema Polonês, que acontece também em outras cidades brasileiras.

Nesta edição do Festival, o objetivo é de destacar novos talentos e apresentar obras contemporâneas produzidas entre 2012 e 2015, em sua maioria inéditas no Brasil. O reconhecimento internacional dos diretores poloneses é um exemplo de que o cinema autoral na Polônia não se restringe à geração passada, com os grandes diretores reconhecidos internacionalmente como Andrzej Wajda, Krzysztof Kieslowski, Jerzy Skolimowski e Roman Polanski. Não apenas o grande cinema polonês se mantém vivo, como a nova geração está trazendo novos ares, se caracterizando pela variedade e individualidade de perspectivas e estratégias poéticas dos realizadores. Apesar de sua força, o cinema polonês atual ainda é desconhecido por grande parte do público brasileiro.

Todos os filmes são exibidos em áudio original com legendas em português.

6o_festival_cinema_polones

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

17 de Agosto, quarta-feira, as 18h00. Deuses, de Łukasz Palkowski. O filme biografa o começo da carreira do famoso cardiologista Zbigniew Religa, que em 1985 realizou o primeiro transplante de coração bem-sucedido na Polônia. O professor Religa proporcionava aos pacientes o sentido de segurança e a certeza de que estaria fazendo tudo para salvá-los. Não era religioso, mas a palavra ”santo” se apegou a ele. Para várias pessoas, a memória dele é santa. ”Era um homem santo” – dizem os pacientes. Santo? Nem tanto. Excelente? Com certeza. Trailer clicando aqui

17 de Agosto, quarta-feira, as 20h30. Bloco de Curtas-Metragens #1: O Objeto, de Paulina Skibińska. É uma imagem criativa e abstrata em torno de uma pesquisa submarina. A ação se desenvolve nas dimensões de dois mundos: o deserto de gelo e as profundezas das águas. A história é contada do ponto de vista da equipe de resgate do mergulhador e das pessoas comuns que esperam o seu retorno. Nossa Maldição, de Tomasz Śliwiński. O filme mostra o cotidiano do jovem diretor e sua esposa, que enfrentam a terrível condição de seu filho recém-nascido Leo, que sofre de uma doença incurável – a síndrome de Ondine. Leo não consegue respirar enquanto dorme e para sobreviver, o bebê precisa estar constantemente ligado a aparelhos. Rogalik, de Pawel Ziemilski. Viajando entre as pessoas e objetos, descobrimos um mundo normalmente considerado como feio e pouco atraente. Esta viagem de sonho não é um sonho. Quem são as pessoas neste “grande aquário”? E qual é a nossa posição em relação a elas? Continuar lendo

30 Jun. a 03 Jul. 2016: 3º Festival Cultural Mondo Estronho – Editora Estronho

Em 2016, o Festival Cultural Mondo Estronho chega a sua 3ª edição. Tendo como principal organizador a Editora Estronho, consiste em um dos mais variados eventos das terras curitibanas, integrando artes visuais, cinema, fotografia, literatura, música, quadrinhos, etc., através de exibições de filmes e realização de bates-papos e debates, oficinas, shows, apresentação de peça de teatro e muito mais.

Além das atividades, o evento conta com estandes com muita coisa bacana de todas essas artes à venda, sendo que muitas delas não se encontram facilmente por aí.

2016_06_mondo_estronho_#3

Falando nesse ponto, do caráter sui generis do Festival, a programação de filmes é um espetáculo à parte. A maioria são filmes independentes de curta-metragem da produção brasileira recente que dificilmente você veria em outro espaço. Principalmente, os filmes de gênero e sub-gênero ainda pouco visíveis no circuito brasileiro, como ação, suspense, horror e terror. Mas, não apenas isso, a programação de cinema é ainda mais variada.

Clique em cima e confira:

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

PÁGINA DE EVENTO NO FACEBOOK Continuar lendo