13 Out. 2018: “Laputa: O Castelo No Céu” de Hayao Miyazaki – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado prossegue a Mostra Outubro Animado com Laputa: O Castelo No Céu, de Hayao Miyazaki.

O filme será exibido no áudio dublado em português (Brasil).

Sinopse: Uma aventura nas alturas começa quando Pazu, um aprendiz de engenheiro, encontra uma jovem garota, Sheeta, flutuando pelos céus e usando um colar brilhante. Descobrem que ambos estão procurando por um lendário castelo flutuante, chamado de “Laputa”, e prometem um ao outro desvendar o mistério do cristal luminoso do colar de Sheeta. Contudo, a aventura de Pazu e Sheeta não será fácil. Há um grupo de piratas gananciosos dos céus, agentes secretos do governo procurando apropriar-se dos poderes mágicos de Laputa e outros obstáculos impressionantes na busca da dupla pela verdade. Continuar lendo

Anúncios

11 Out. 2018: “A Hora Do Lobo” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

No mês de outubro, o Cine Esquina repete a programação da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. A programação rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta, que ocorreu este ano (14/07/1918).

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A Mostra continua com A Hora Do Lobo.

Sinopse: O pintor Johan e a esposa grávida, Alma, retiram-se para uma ilha isolada. Johan é consumido por remorsos do passado e por constantes alucinações. Alma tenta ajudá-lo a manter a sanidade e controlar a obra dele. Mas, durante a escuridão entre a noite e o amanhecer, a chamada “hora do lobo”, Johan sofre confusões mentais, delírios e alucinações. Acabam por conhecer um misterioso grupo de pessoas que passa a trazer angústias ainda maiores à vida do casal. O único filme que pode ser considerado de terror/horror na filmografia de Ingmar Bergman. Continuar lendo

10 Out. 2018: “Kairo” de Kiyoshi Kurosawa – Cine FAP

Neste mês de outubro, além das sessões costumeiras das segundas-feiras, o Cine FAP está realizando o Ciclo “Fantasmas no Cinema Japonês” às quartas-feiras. Continua com exibição e debate de Kairo, de Kiyoshi Kurosawa.

Sinopse: Um grupo de jovens amigos é abalado pelo suicídio repentino de um deles. Quando a imagem fantasmagórica do falecido aparece na tela do computador, algo muito mais terrível é desencadeado. O terror aumenta à medida que mais mortes e desaparecimentos ocorrem. Grupos de jovens começam a investigar a causa dos acontecimentos. Continuar lendo

10 Out. 2018: Estreia de “Esperando Magrão” e “O Capiau Contra O Diabo” – Asilo Febril

A produtora Asilo Febril, com a parceria da Fundação Cultural de Curitiba, realiza evento de estreia de dois filmes: Esperando Magrão, de Fernando Costa, e O Capiau Contra O Diabo, de Christofer Pallu e Fernando Iolla.

Confira o texto oficial de apresentação dos filmes: A produtora ​ ASILO FEBRIL, sediada em São José dos Pinhais, Paraná, Brasil, propõe aos exibidores independentes do país uma experiência única no cinema brasileiro feito hoje: ​ exibir dois filmes em uma única sessão ​! Trata-se de um projeto já antigo e que resultou em dois filmes ao mesmo tempo distintos e complementares: ​ Esperando Magrão (40 minutos) e ​ O Capiau Contra o Diabo (54 minutos), ambos filmados em 2017. Essas duas produções foram concebidas para serem projetadas em conjunto, formando uma experiência cinematográfica contínua de 94 minutos.

Com esta proposição, pretendemos resgatar a antiga tradição da ​ sessão dupla ​, uma prática comum no cinema de gênero até os anos 1970, na qual eram exibidas duas películas (o filme A e filme B) em uma mesma sessão. Recentemente, poucas foram as tentativas de reavivar essa prática, sendo uma das mais conhecidas o projeto Grindhouse ​ (2007), encabeçado pelos cineastas Quentin Tarantino e Robert Rodriguez. Foi precisamente visando ao benefício tanto do exibidor quanto do espectador.

A respeito das obras, podemos dizer que ​ Esperando Magrão é um suspense, enquanto ​ O Capiau Contra o Diabo é um filme de horror. O primeiro traz um enredo de crime enclausurado nas quatro paredes de um hotel à beira da estrada; o segundo é o relato das desventuras de uma viagem a uma comunidade do interior que resulta no encontro desafortunado de um grupo de adolescentes forasteiros com o Diabo. Comum a ambas as fitas é o senso de perigo iminente, o contato com meio social através de uma inusitada reunião de personagens secundários e as interações conflituosas no âmago dos grupos formados pelos protagonistas.

Sinopses:

Esperando Magrão. Três malandros se escondem num quarto de hotel com uma mala roubada. Só um criminoso pode salvá-los: Magrão.

Trailer: https://youtu.be/vgS9K6cxvwM Continuar lendo

09 Out. 2018: “Persona” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

No mês de outubro, o Cine Esquina repete a programação da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. A programação rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta, que ocorreu este ano (14/07/1918).

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A Mostra prossegue com Persona. O filme também também é conhecido no Brasil sob o título Quando Duas Mulheres Pecam.

Sinopse: Após um desempenho na peça “Electra”, uma famosa atriz, Elisabeth Vogler, para de falar. A psiquiatra dela, Lakaren, a deixa sob os cuidados de Alma, uma dedicada enfermeira. Como já faz três meses que Elisabeth não profere uma só palavra, Lakaren decide que ela deve repousar numa isolada casa de praia, acompanhada de Alma. Na casa Alma fala pelas duas – inclusive revelando fatos íntimos da vida dela; Elisabeth continua muda, comunicando-se apenas com pequenos gestos. O que a atriz esconde e o que está pretendendo? Continuar lendo

08 Out. 2018: “Jejum De Amor” de Howard Hawks – Cine FAP

O Cine FAP exibe e debate Jejum De Amor, de Howard Hawks.

Sinopse: Rosalind Russel é uma repórter debochada e que não resiste a um bom furo jornalístico. Ela trabalha para o ex-marido, que é editor do jornal. Decide largar o trabalho para se casar com um homem sem graça, mas rico. Decidido a prender a ex-esposa por mais tempo na redação, o cheio de ciúmes Walter Burns coloca nas mãos de Rosalind uma grande história jornalística, sabendo que ela não vai resistir ao trabalho. Assim ela acaba se estendendo no jornal e os dois vão travando verdadeiros duelos verbais, sendo assistidos por figuras caricatas de redação de jornal: mascadores de chicletes, fumantes inveterados e jogadores de pôquer. Continuar lendo

06 Out. 2018: “Planeta Proibido” de Fred M. Wilcox – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado começa a Mostra Clássicos Sci-Fi com Planeta Proibido, de Fred M. Wilcox.

Sinopse: Uma expedição espacial pretende verificar uma colônia de cientistas em um planeta distante, que viajaram vinte anos antes. No local, eles encontram apenas dois sobreviventes: o Dr. Morbius, que dobrou o intelecto com o uso de tecnologia alienígena, e a filha dele. Os demais integrantes da colônia foram atacados por forças ocultas que vagam pelo planeta… Continuar lendo

06 Out. 2018: “O Serviço de Entregas de Kiki” de Hayao Miyazaki – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado inicia a Mostra Outubro Animado com O Serviço de Entregas de Kiki, de Hayao Miyazaki.

O filme será exibido no áudio dublado em português (Brasil).

Sinopse: Kiki é uma jovem aprendiz de bruxa, e chegou o momento de ganhar o mundo. Faz parte da formação de bruxa, sair de casa ainda n adolescência e ir morar em outro lugar do país, aprendendo a sobreviver sozinha. Chegando na nova cidade, Kiki é acolhida por um casal de padeiros, e passa a retribuir a alimentação e hospedagem fazendo entregas da padaria utilizando a vassoura voadora dela. Continuar lendo

06 Out. 2018: “Rastros De Ódio” de John Ford – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Rastros De Ódio, de John Ford.

Sinopses: O veterano da Guerra Civil Ethan Edwards chega ao Texas em 1868 e encontra o irmão e a família dele. Entretanto, no dia seguinte, índios comanches invadem o rancho, matam o casal e raptam as duas filhas deles. Ethan parte então em uma busca vingativa pelas meninas, junto do companheiro Martin, um mestiço que logo percebe que Ethan está obcecado por matar os índios e cheio de ódio racista. Eles encontram o corpo da mais velha, e saem em busca da caçula, que procuram por mais 5 anos no deserto. Continuar lendo

04 Out. 2018: “O Sétimo Selo” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

No mês de outubro, o Cine Esquina repete a programação da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. A programação rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta, que ocorreu este ano (14/07/1918).

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A Mostra continua com O Sétimo Selo.

Sinopse: Após dez anos, um cavaleiro retorna das Cruzadas e encontra o país devastado pela Peste Negra. A fé dele em Deus é sensivelmente abalada, e enquanto reflete sobre o significado da vida, a Morte surge querendo levá-lo, alegando que chegou a hora do cavaleiro. Com o objetivo de ganhar tempo, ele convida a Morte para um jogo de xadrez, que decidirá se ele deixará ou não de viver. A Morte concorda com o desafio, visto que nunca perdeu um jogo de xadrez. Continuar lendo

02 a 30 Out. 2018: Programação do Cineclube do MIS – Museu da Imagem e do Som

Confira a programação do mês de Outubro de 2018 do Cineclube do MIS. CLIQUE AQUI e acesse o cartaz oficial.

Cineclube do MIS – Outubro de 2018

Sessões as terças-feiras e quintas-feiras as 15h00

Entrada Gratuita

Confira a Classificação Etária de cada filme no link do cartaz

LocalMuseu da Imagem e do Som

Rua Barão do Rio Branco, 395, bairro Centro, Curitiba/PR. As exibições ocorrem no Miniauditório

Mapa: https://goo.gl/maps/6JYVxbVkW2k

Contatos: (41) 3232-9113, mis@pr.gov.br

http://www.mis.pr.gov.br

https://www.facebook.com/misparana

*A partir de informações do MIS-PR

02 Out. 2018: “Morangos Silvestres” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

No mês de outubro, o Cine Esquina repete a programação da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. A programação rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta, que ocorreu este ano (14/07/1918).

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A Mostra inicia com Morangos Silvestres.

Sinopse: Isak Borg é um professor de Medicina que revisita vários momentos marcantes do passado, durante uma viagem de carro até a antiga universidade em que trabalhou, onde receberá uma honraria. Acompanhado da nora Marianne, ele evoca a memória da família e de uma ex-namorada. Durante a viagem, acaba por conhecer uma garota adolescente que em muito se assemelha a Sara, o antigo amor. A jovem pega carona com o professor e Marianne. Quanto mais Borg recorda as decepções e desilusões que viveu, mais ele se sente frio e cheio de culpa. Continuar lendo

1º Out. 2018: “A Rua Da Vergonha” de Kenji Mizoguchi – Cine FAP

O Cine FAP exibe e debate A Rua Da Vergonha, de Kenji Mizoguchi.

Sinopse: A história se passa num bordel e relata o cotidiano das trabalhadoras, enquanto o Japão discute tornar ilegal a prostituição no pós 2ª Guerra Mundial. Pouco a pouco, Mizoguchi vai desvendando as razões que levaram as mulheres a essa opção de vida, ao mesmo tempo em que aproveita para contextualizar a importância que a prostituição ainda mantinha na cultura japonesa. O filme não perde tempo em definir cada personagem e a escolher uma que tenha um papel principal, preferindo se debruçar um pouco sobre os vários dramas pessoais. Assim, permite ao espectador formar a própria ideia de como era a vida de uma prostituta no final dos anos 1940 no Japão. Continuar lendo

29 Set. 2018: “As Praias De Agnès” de Agnès Varda – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate As Praias De Agnès, de Agnès Varda.

Sinopse: Ao regressar às praias que marcaram a vida dela, Agnès Varda inventa uma forma de auto-documentário. A cineasta se coloca em cena entre excertos de filmes dela, imagens e reportagens. Faz-nos partilhar com humor e emoção o percurso da vida dela: os primeiros passos como fotógrafa de teatro e cineasta nos anos 1950, a vida com Jacques Demy, a militância feminista, as viagens a Cuba, à China e ao Estados Unidos, o percurso de produtora independente, a vida em família e o amor pelas praias. Continuar lendo