31 Jul. 2018: “Face A Face” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra termina com Face A Face.

Sinopse: Jenny Isaksson, psiquiatra e casada, é assombrada por visões de uma velha e passa a sofrer profunda depressão. Na procura desesperada de fugir do pesadelo, ela passa a ter um caso com Tomas Jacobi, um médico casado. Isto só serve para provocar nela uma crise histérica e, quando tem novas alucinações com a velha mulher, tenta suicídio. Enquanto está entre a vida e a morte, ela imagina ver todas as pessoas que tiveram alguma influência na vida dela, e vai começando a entender quem é a velha senhora e por qual motivo provoca tanto sofrimento. Continuar lendo

Anúncios

31 Jul. 2018: Homenagem a Ingmar Bergman – Cine na 3ª

O Cine na 3ª realiza exibição de dois filmes em homenagem aos 100 anos de nascimento de Ingmar Bergman, que nasceu em 14 de Julho de 2018. O cineasta faleceu no mesmo mês do ano de 2007, no dia 30.

31/07, terça-feira as 16h00: Persona. O filme também também é conhecido no Brasil sob o título Quando Duas Mulheres Pecam. Após um desempenho na peça “Electra”, uma famosa atriz, Elisabeth Vogler, para de falar. A psiquiatra dela, Lakaren, a deixa sob os cuidados de Alma, uma dedicada enfermeira. Como já faz três meses que Elisabeth não profere uma só palavra, Lakaren decide que ela deve repousar numa isolada casa de praia, acompanhada de Alma. Na casa Alma fala pelas duas – inclusive revelando fatos íntimos da vida dela; Elisabeth continua muda, comunicando-se apenas com pequenos gestos. O que a atriz esconde e o que está pretendendo?

Trailer: https://youtu.be/tZo0y6RiKlo Continuar lendo

26 Jul. 2018: “Na Presença De Um Palhaço” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Na Presença De Um Palhaço.

Sinopse: Outubro de 1925. O engenheiro Carl Åkerblom, fervoroso admirador de Schubert, é internado em um hospital psiquiátrico em Uppsala. Do quarto, ele alimenta o revolucionário projeto de inventar o cinema falado. Com a ajuda do professor “louco” Osvald Vogler, o agora diretor de cinema Åkerblom improvisa uma história de amor contando os últimos dias de Schubert. Continuar lendo

24 Jul. 2018: “Fanny & Alexander” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Fanny & Alexander.

Sinopse: No início do Século 20, após um alegre Natal da família Ekdahl, o pai de um casal de crianças vem a falecer. Do momento em diante, Alexander, o menino, passa a ver o fantasma do pai frequentemente. Tempos depois, Emilie, a mãe, casa-se com um homem religioso extremamente rígido, e as crianças são obrigadas a deixar a casa da avó paterna, onde eram muito felizes, e passam a viver com a família do padrasto de hábitos severos, onde são tratados como prisioneiros. Na casa, o menino passa a ver o fantasma da primeira esposa do padrasto e filhas, que haviam morrido tentando escapar da casa. Decorrido algum tempo, a mãe se conscientiza da real personalidade do marido e de quanto os filhos estão sofrendo, e começa a planejar uma fuga. Continuar lendo

19 Jul. 2018: “Sonata De Outono” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Sonata De Outono.

Sinopse: Após ter sido uma mãe ausente por anos, Charlotte, renomada pianista, vai até a casa da filha Eva para uma visita. Ela se surpreende ao encontrar uma outra filha, Helena, que sofre de problemas mentais. Eva tirou Helena da instituição que Charlotte a havia internado para cuidar dela em casa. A tensão entre mãe e filha começa a crescer e vai se intensificando, até colocarem tudo em panos limpos, dizendo uma à outra tudo que sempre quiseram dizer. Continuar lendo

17 Jul. 2018: “Vergonha” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Vergonha.

Sinopse: Em meio a uma guerra civil nos balcãs, um casal de violinistas, que se dizem apolíticos, fogem para viver isolados em uma ilha, onde sustentam-se com o cultivo e a venda de produtos da terra. Essa vida alienada acaba quando um grupo de soldados invade a ilha, e a população local reage criando um movimento de guerrilha. A partir desse momento, o casal não poderá ficar mais alheio à tudo o que acontece, e terão que lidar com as misérias, a destruição e os horrores da guerra. Continuar lendo

14 Jul. 2018: “Elvira Madigan” de Bo Widenberg – Cineclube Espoletta

O Cineclube Espoletta exibe e debate Elvira Madigan, de Bo Widenberg.

Sinopse: Enredo baseado na história real do relacionamento entre Elvira Madigan e Sixten Sparre. Ele, Sixten, um tenente do exército sueco, deixa a esposa e filhos e abandona o exército para fugir para a Dinamarca com a amada Elvira, uma artista de circo. Eles se conheceram numa passagem do circo pela Suécia, e depois vieram a se corresponder por mais de dois anos. A fuga faz do tenente um desertor. Juntos e sem dinheiro, passam a enfrentar muitas dificuldades.  Continuar lendo

12 Jul. 2018: “A Hora Do Lobo” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com A Hora Do Lobo.

Sinopse: O pintor Johan e a esposa grávida, Alma, retiram-se para uma ilha isolada. Johan é consumido por remorsos do passado e por constantes alucinações. Alma tenta ajudá-lo a manter a sanidade e controlar a obra dele. Mas, durante a escuridão entre a noite e o amanhecer, a chamada “hora do lobo”, Johan sofre confusões mentais, delírios e alucinações. Acabam por conhecer um misterioso grupo de pessoas que passa a trazer angústias ainda maiores à vida do casal. O único filme que pode ser considerado de terror/horror na filmografia de Ingmar Bergman. Continuar lendo

10 Jul. 2018: “Persona” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com Persona. O filme também também é conhecido no Brasil sob o título Quando Duas Mulheres Pecam.

Sinopse: Após um desempenho na peça “Electra”, uma famosa atriz, Elisabeth Vogler, para de falar. A psiquiatra dela, Lakaren, a deixa sob os cuidados de Alma, uma dedicada enfermeira. Como já faz três meses que Elisabeth não profere uma só palavra, Lakaren decide que ela deve repousar numa isolada casa de praia, acompanhada de Alma. Na casa Alma fala pelas duas – inclusive revelando fatos íntimos da vida dela; Elisabeth continua muda, comunicando-se apenas com pequenos gestos. O que a atriz esconde e o que está pretendendo? Continuar lendo

05 Jul. 2018: “O Sétimo Selo” de Ingmar Bergman – Cine Esquina

Ao longo do mês de julho, o Cine Esquina rende homenagem a Ingmar Bergman, inspirando-se no aniversário de 100 anos de nascimento do cineasta (14/07/1918), com a realização da Mostra “O Lobo à Espreita: Uma Homenagem ao Centenário de Ingmar Bergman”. Curiosamente, o sueco também veio a falecer no mês de julho, no dia 30, em 2007.

Confira a apresentação oficial da Mostra: “Bergman nasceu no mês de julho de 1918, na cidade de Uppsala (Suécia), e morreu em 2007, aos 89 anos. O diretor é considerado um dos principais nomes da história do cinema e dirigiu 52 filmes ao longo de 73 anos de carreira. Também foi dramaturgo, dirigindo mais de cem peças teatrais. Na extensa lista de premiações que detém, estão os troféus nos festivais de cinema de Cannes, Berlim e Veneza, além de três prêmios Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele influenciou dezenas de cineastas, incluindo Woody Allen, que o idolatrava e que homenageou O Sétimo Selo, um dos clássicos do cineasta sueco, com a comédia A Última Noite de Boris Grushenko.

Por meio de impecável construção visual e forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, traz nos temas centrais das obras dele o estudo psicológico dos personagens e das famílias disfuncionais, assim como a angústia causada pela ausência de um Deus, deixando o ser humano abandonado entre o ‘bem’ e o ‘mal’. Como recurso técnico, o flashback se tornou ferramenta essencial das narrativas e marca registrada dos filmes de Bergman. Assim como a interação do ator com a câmara, como se estivesse dialogando ou olhando para o espectador.”

A mostra continua com O Sétimo Selo. A mostra, que começou com Morangos Silvestres, ainda contará com: Persona (dia 10); A Hora Do Lobo (12); Vergonha (17); Sonata De Outono (19); Fanny & Alexander (24); Na Presença De Um Palhaço (26); e Face A Face (31).

Sinopse: Após dez anos, um cavaleiro retorna das Cruzadas e encontra o país devastado pela Peste Negra. A fé dele em Deus é sensivelmente abalada, e enquanto reflete sobre o significado da vida, a Morte surge querendo levá-lo, alegando que chegou a hora do cavaleiro. Com o objetivo de ganhar tempo, ele convida a Morte para um jogo de xadrez, que decidirá se ele deixará ou não de viver. A Morte concorda com o desafio, visto que nunca perdeu um jogo de xadrez. Continuar lendo

10 a 16 Maio 2018: Democracia em Cena: 14º Festival de Cinema Europeu – Semana da Europa

Neste ano de 2018, acontece a 14ª edição da Semana da Europa. A Semana consiste em um conjunto de eventos culturais, esportivos e acadêmicos que ocorrem em diversas capitais brasileiras, e faz parte das comemorações do Dia da Europa. Celebrado em 09 de Maio, é a data da assinatura da Declaração Schuman, considerado o embrião do que hoje é a União Europeia.

Um dos pontos altos da Semana da Europa ao longo dos anos é sem dúvida nenhuma o Festival de Cinema Europeu, a qual Curitiba tem a sorte em ser uma das cidades agraciadas. Na edição deste ano, o tema é Democracia em Cena. Segundo o release oficial do Festival, “A democracia, cujo significado se desenvolveu durante milhares de anos, é o tema escolhido para a 14ª Mostra de Cinema Europeu. O evento coloca em foco este regime politico contemporâneo adotado por grande parte dos países ocidentais e traz obras que abordam memórias relevantes para a Europa”. No total da programação, são 12 filmes de 12 nacionalidades diferentes, com destaque para os filmes do Chipre, Hungria e República Tcheca, cinemas pouco difundidos no Brasil.

Acesse a PROGRAMAÇÃO COMPLETA clicando aqui1: Semana ou clicando aqui2: FCC Continuar lendo

17 Abr. 2018: “Fanny & Alexander” de Ingmar Bergman – Cine na 3ª

O Cine na 3ª exibe Fanny & Alexander, de Ingmar Bergman.

Sinopse: No início do Século 20, após um alegre Natal da família Ekdahl, o pai de um casal de crianças vem a falecer. Do momento em diante, Alexander, o menino, passa a ver o fantasma do pai frequentemente. Tempos depois, Emilie, a mãe, casa-se com um homem religioso extremamente rígido, e as crianças são obrigadas a deixar a casa da avó paterna, onde eram muito felizes, e passam a viver com a família do padrasto de hábitos severos, onde são tratados como prisioneiros. Na casa, o menino passa a ver o fantasma da primeira esposa do padrasto e filhas, que haviam morrido tentando escapar da casa. Decorrido algum tempo, a mãe se conscientiza da real personalidade do marido e de quanto os filhos estão sofrendo, e começa a planejar uma fuga. Continuar lendo

14 Abr. 2018: “Face A Face” de Ingmar Bergman  – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado exibe Face A Face, de Ingmar Bergman.

Sinopse: Jenny Isaksson, psiquiatra e casada, é assombrada por visões de uma velha e passa a sofrer profunda depressão. Na procura desesperada de fugir do pesadelo, ela passa a ter um caso com Tomas Jacobi, um médico casado. Isto só serve para provocar nela uma crise histérica e, quando tem novas alucinações com a velha mulher, ela tenta suicídio. Enquanto está entre a vida e a morte ela imagina ver todas as pessoas que tiveram alguma influência na vida dela, e vai começando a entender quem é a velha senhora e por qual motivo provoca tanto sofrimento. Continuar lendo

07 Abr. 2018: “Vergonha” de Ingmar Bergman  – Sessão de Sábado

O Sessão de Sábado exibe Vergonha, de Ingmar Bergman.

Sinopse: Em meio a uma guerra civil nos balcãs, um casal de violinistas, que se dizem apolíticos, fogem para viver isolados em uma ilha, onde sustentam-se com o cultivo e a venda de produtos da terra. Essa vida alienada acaba quando um grupo de soldados invade a ilha, e a população local reage criando um movimento de guerrilha. A partir desse momento, o casal não poderá ficar mais alheio à tudo o que acontece, e terão que lidar com as misérias, a destruição e os horrores da guerra. Continuar lendo