21 Out. 2018: “Deus Sabe Quanto Amei” de Vincente Minnelli – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Deus Sabe Quanto Amei, de Vincente Minnelli.

Sinopse: Um escritor que serviu na Segunda Guerra Mundial, retorna por acaso para a cidade natal, onde tem problemas com o irmão. Perseguido por uma jovem apaixonada ao mesmo tempo em que é interessado por uma professora que o ajuda na carreira das letras, ele se vê dividido pelo destino, sem saber a qual caminho entregar o coração. Continuar lendo

Anúncios

13 Out. 2018: “Mulheres Diabólicas” de Claude Chabrol – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Mulheres Diabólicas, de Claude Chabrol.

Sinopse: Sophie é contratada por Catherine Lelièvre para cuidar da rica mansão da família, no interior da França. Sophie faz amizade com Jeanne, responsável pelo correio local. Jeaane não gosta dos Lelièvre e conspira contra a família. Georges, o patriarca da família Lelièvre, não aprova a proximidade entre Sophie e Jeanne, e o relacionamento cordial entre patrões e empregada começa a se extinguir. Continuar lendo

29 Set. 2018: “As Praias De Agnès” de Agnès Varda – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate As Praias De Agnès, de Agnès Varda.

Sinopse: Ao regressar às praias que marcaram a vida dela, Agnès Varda inventa uma forma de auto-documentário. A cineasta se coloca em cena entre excertos de filmes dela, imagens e reportagens. Faz-nos partilhar com humor e emoção o percurso da vida dela: os primeiros passos como fotógrafa de teatro e cineasta nos anos 1950, a vida com Jacques Demy, a militância feminista, as viagens a Cuba, à China e ao Estados Unidos, o percurso de produtora independente, a vida em família e o amor pelas praias. Continuar lendo

1º Set. 2018: “Sócios No Amor” de Ernst Lubitsch – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Sócios No Amor, de Ernst Lubitsch.

Sinopse: O dramaturgo Tom Chambers e o pintor George Curtis, dois americanos que partilham um apartamento em Paris, possuem ambos uma queda por Gilda Farrell. Quando ela não consegue decidir-se qual deles prefere, propõe um “acordo de cavalheiros”: ela vai morar com eles, mas não manterá relações sexuais com nenhum dos dois. Mas, quando Tom vai à Londres para supervisionar a produção de uma das peças dele, deixando Gilda sozinha com George, quanto tempo será que o acordo de cavalheiros pode durar? Continuar lendo

18 Ago. 2018: “Contrastes Humanos” de Preston Sturges – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Contrastes Humanos, de Preston Sturges.

Sinopse: Acostumado a dirigir filmes simples e sem grandes implicações, o cineasta John L. Sullivan decide fazer um filme sobre os problemas sociais. Todavia, é desencorajado pelos produtores, que o acham incapaz para tal. Para provar o contrário, ele se traveste de mendigo e vai para as ruas, para viver a experiência de perto e ter contato com a realidade. Continuar lendo

04 Ago. 2018: “O Atalante” de Jean Vigo – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate O Atalante, de Jean Vigo.

Sinopse: Quando se casa com Jean, Juliette vai morar na embarcação do marido, chamada L’Atalante, onde o casal está acompanhado apenas de outros dois tripulantes. Pouco tempo depois, entediada com a vida à bordo, a mulher desembarca em Paris para conhecer os atrativos da cidade grande. Irritado com isso, Jean zarpa, abandonando-a. Depois, angustiado por sentimento de culpa e pela saudade, cai em depressão. Um dos tripulantes volta à metrópole para tentar encontrar Juliette. Continuar lendo

21 Jul. 2018: “Rosa La Rose, Garota De Programa” de Paul Vecchiali – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Rosa La Rose, Garota De Programa, de Paul Vecchiali.

Sinopse: Rosa la Rose é a mais bela prostituta de Les Halles. Todos os clientes a desejam e ela não nega nenhum deles. O cafetão é um homem compreensivo e generoso. Sobre a vida de Rosa há pouco a contar. Até que surge um jovem chamado Julien e ela se apaixona. Mas valerá a pena deixar a vida atual por uma loucura de amor? Continuar lendo

07 Jul. 2018: “Nuvens De Verão” de Mikio Naruse – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Nuvens De Verão, de Mikio Naruse.

Sinopse: Yae, que perdeu o marido na guerra, administra uma pequena fazenda com a sogra, enquanto cria o único filho, Tadashi. Em certa ocasião, o repórter Okawa a entrevista sobre as recentes reformas agrícolas, e os dois acabam tornando-se amigos. O pós-guerra e os traumas do período foram uma constante na obra de Naruse a partir do início da década de 1950. Nuvens De Verão (Iwashigumo), um dos mais célebres filmes do cineasta, é uma sucessão de pequenas histórias vividas por uma família de camponeses no pós-guerra. Ligando-as uma às outras e assim dando unidade ao filme, está a personagem da jovem viúva Yae, dividida entre manter a independência e a necessidade de voltar a casar. Continuar lendo

23 Jun. 2018: “Paixão” de Brian de Palma – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Paixão, de Brian De Palma.

Sinopse: No enredo, uma cruel luta pelo poder entre duas executivas de alto nível. Christine é elegante, confiante e ambiciosa. Já Isabelle, novata protegida por Christine, é tímida mas brilhante, e começa a ter algumas das ideias dela roubadas… Christine instaura um jogo perverso, humilhando e dominando Isabelle. Continuar lendo

09 Jun. 2018: “Jacques Rivette – O Vigilante” de C. Denis e S. Daney – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Jacques Rivette – O Vigilante, de Claire Denis e Serge Daney.

Sinopse: Integrante da série Cinéma, De Notre Temps, o documentário de Claire Denis retrata o diretor e crítico de cinema Jacques Rivette, de quem ela foi assistente, geralmente avesso à mídia, em conversas com outro crítico e cinéfilo, Serge Daney. Nas duas partes do filme (O Dia / A Noite), os dois encontram-se às voltas com temas como o início da “Turma dos Quatro” – Godard, Rivette, Rohmer e Truffaut –, com a Cahiers du Cinéma, André Bazin e, em palavras e imagens, com cinco trabalhos essenciais da filmografia de Rivette: Paris Nous Appartient, L’Amour Fou, Out 1, Duelle e Le Pont Du Nord. Continuar lendo

26 Maio 2018: “O Fantasma Apaixonado” de Joseph L. Mankiewicz – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate O Fantasma Apaixonado, de Joseph L. Mankiewicz.

Sinopse: Um ano após a morte do marido, Lucy Muir decide não mais viver com a sogra e a cunhada. Aluga o “Chalé Gaivota”, uma casa à beira-mar, e para lá se muda com sua filha e sua empregada. Porém, logo o fantasma de Daniel Gregg, o falecido proprietário da casa que morrera em um suposto suicídio, surge para a amedrontá-la. Todavia, a empreitada do fantasma em assustar a mulher não surte efeito, e aos poucos nasce uma amizade entre os dois. Quando Lucy se vê em grave situação financeira, Daniel decide narrar a vida dele à ela, a fim de ser transformada em livro e poder render dinheiro.  Continuar lendo

19 Maio 2018: “Coisas Secretas” de Jean-Claude Brisseau – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante exibe e debate Coisas Secretas, de Jean-Claude Brisseau.

Sinopse: Nathalie ensina a Sandrine que a transgressão sexual pode causar um prazer violento e proporcionar a quem se serve dela uma poderosa arma para subir na hierarquia social. Decidem arranjar emprego num banco, um ambiente onde as vítimas abundam. Depois de se aproveitarem de vários funcionários superiores, chegam a Christophe, filho do patrão e futuro diretor do banco. Porém, o jovem, de caráter libertino, estabelecerá um conjunto de regras completamente novo do que elas estão acostumadas. Continuar lendo

28 e 29 Abr. 2018: Mostra Filme B: Parte II – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante apresenta a segunda parte da Mostra Filme B com exibição e debate de 5 filmes.

Apresentação oficial da Mostra: “O cinema B nasceu na curva da grande crise de 1929 que abalou a indústria hollywoodiana, da ideia de que seria necessário desde então dar mais aos espectadores pelo mesmo preço, visando continuar a encher as salas. Filmes de ação com orçamentos minúsculos, os “Bs”, se viravam com restrições draconianas de tempo e dinheiro, na ausência de qualquer intenção artística. Durante os anos quarenta e cinquenta, estes filmes acabaram por impor um estilo de encenação, por gerar uma competência verdadeira. A série B se tornou uma forma de arte bruta, ao mesmo tempo selvagem e estilizada, e mesmo, muitas vezes, mais diversificada que as figuras impostas pelos gêneros do cinema hollywoodiano clássico” (Charles Tesson).

28 de Abril, sábado as 16h00. A Força Do Mal, de Abraham Polonski. Joe Morse é um advogado ambicioso que representa os interesses de Ben Tucker, chefe da organização criminosa de jogo de azar que planeja monopolizar a jogatina em Nova York. Para isso, a organização executa um golpe ousado que faz muitas vítimas, sendo uma delas o irmão de Joe, que fica dividido entre interesses financeiros e a vida do irmão.

28 de Abril, sábado as 18h30. Madrugada Da Traição, de Edgar G. Ulmer. O bandido mexicano Santiago consegue corromper o pobre,mas orgulhoso fazendeiro Manuel e a esposa dele, Maria, oferecendo-lhes oportunidade em participar de um assalto a trem. A princípio resistentes, os dois acabam atraídos pelo dinheiro fácil. Continuar lendo

21 e 22 Abr. 2018: Mostra Filme B: Parte I – Cineclube do Atalante

O Cineclube do Atalante apresenta a primeira parte da Mostra Filme B com exibição e debate de 4 filmes.

Apresentação oficial da Mostra: “O cinema B nasceu na curva da grande crise de 1929 que abalou a indústria hollywoodiana, da ideia de que seria necessário desde então dar mais aos espectadores pelo mesmo preço, visando continuar a encher as salas. Filmes de ação com orçamentos minúsculos, os “Bs”, se viravam com restrições draconianas de tempo e dinheiro, na ausência de qualquer intenção artística. Durante os anos quarenta e cinquenta, estes filmes acabaram por impor um estilo de encenação, por gerar uma competência verdadeira. A série B se tornou uma forma de arte bruta, ao mesmo tempo selvagem e estilizada, e mesmo, muitas vezes, mais diversificada que as figuras impostas pelos gêneros do cinema hollywoodiano clássico” (Charles Tesson).

21 de Abril, sábado as 16h00. Mortalmente Perigosa, de Joseph H. Lewis. Obcecado por armas de fogo desde a infância, Barton não consegue encontrar um objetivo na vida depois de passar anos num reformatório e depois como instrutor de tiro no exército. A situação muda quando ele conhece num circo a insinuante e misteriosa atiradora Annie Starr. Perdidamente apaixonados, os dois atiradores fogem deixando um rastro de crimes pelo Estado, como uma versão contemporânea de Bonnie e Clyde.

21 de Abril, sábado as 18h30. Silêncio Nas Trevas, de Robert Siodmak. Helen Capel, uma mulher de 27 anos, é muda devido a um trauma de infância. Trabalha como cuidadora da inválida Sra. Warren em uma pequena cidade da Nova Inglaterra. A dama tem dois filhos, o professor Warren e o mulherengo Steve. Helen encontra-se apaixonada pelo Dr. Parry, recém-chegado à localidade. A paz do lugar é quebrada quando três mulheres aparecem mortas. Um ponto comum entre elas é que todas possuíam algum tipo de deficiência física. Helen, por ser muda, teme que venha a ser a próxima vítima do assassino. Continuar lendo